menu

Brasil

25/04/2015


Cinzas do vulcão Calbuco chegam a Buenos Aires e aéreas cancelam voos

As cinzas do vulcão Calbuco – que ficou inativo durante 43 anos, até entrar em erupção na última quarta-feira (22), na Patagônia chilena – chegaram a Buenos Aires nesta sexta-feira (24), levando algumas companhias aéreas norte-americanas a cancelar ou desviar voos com destino à capital argentina. Alguns dos 4 mil chilenos que vivem nos municípios vizinhos ao vulcão, que foram evacuados da área, puderam voltar às suas casas por algumas horas, mas o Serviço Nacional de Geologia e Mineração do Chile ainda não descartou o risco de mais erupções.

 

A presidenta Michelle Bachelet visitou ontem (23) o município de Ensenada – a 15 quilômetros (km) do vulcão e 1 mil km ao sul da capital, Santiago. Segundo a presidenta, a prioridade, no momento, é garantir a segurança dos moradores. “Não sabemos como o vulcão vai reagir”, disse ela.

 

As cinzas vulcânicas, que chegaram a Buenos Aires – a mais de 1,4 mil km do vulcão – foram carregadas pelos ventos. As autoridades asseguram, contudo, que as camadas de pó estão longe do solo e não são tóxicas – apenas escureceram levemente o céu.

Por precaução, no entanto, as empresas aéreas American Airlines, United Airlines e Air France decidiram cancelar alguns voos para o Cone Sul do continente. Um dos voos da United Airlines, por exemplo, que faria a rota de Houston (nos Estados Unidos) para Buenos Aires, foi desviado para São Paulo.

Mas segundo especialista argentinos, desta vez – ao contrário do que ocorreu em 2011 – a situação deve se normalizar em breve. Há quatro anos, o vulcão chileno Puyehyue entrou em erupção, expulsando fumaça de gases vulcânicos durante semanas, no mês de junho. Por causa da direção dos ventos, as cinzas prejudicaram principalmente a Patagônia argentina, em plena temporada de turismo.

Notícias relacionadas