menu

Brasil

13/06/2014


Com queda de preço de imóveis, financiamento cresce 30%

Imóveis

Enquanto os preços dos imóveis dão claros sinais de desaceleração, o crédito imobiliário no Brasil continua pisando forte no acelerador. No primeiro quadrimestre do ano, o volume de financiamentos com recursos da poupança saltou 20% em relação ao mesmo período de 2013, somando R$ 34,4 bilhões.

A escalada é ainda mais expressiva quando se olha o acumulado de 12 meses até abril deste ano: os empréstimos movimentaram R$ 114,9 bilhões com recursos da poupança, crescimento de 30% ante o período anterior, de acordo com a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

O número de unidades financiadas também decolou: cresceu 16% nos três primeiros meses do ano, ante igual período de 2013.

Ao mesmo tempo, os imóveis tiveram queda real de preços – crescimento menor que a inflação oficial – entre janeiro e maio deste ano, mostrou o mais recente estudo do Índice FipeZap. Na medida em que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulou alta de 3,33% no período, os imóveis encareceram 2,98%.

“A recente acomodação dos preços [dos imóveis] estimulou as pessoas a procurarem mais financiamento para a casa própria”, analisa o especialista em crédito imobiliário e ex-superintendente da Abecip, José Pereira Gonçalves.

Além de acreditar que o atual crescimento do crédito não representa riscos para a economia, Gonçalves sustenta a tese de que o sistema caminha para se consolidar no Brasil. Em sua visão, contudo, o volume de empréstimos já alcança um patamar saudável em torno de R$ 100 bilhões ao ano.

Bancos brigam por fatia maior do financiamento habitacional

Maior credora de imóveis financiados no Brasil, a Caixa Econômica Federal viu um crescimento robusto de sua carteira de crédito habitacional nos últimos anos. Dona de 67,6% do mercado, a instituição planeja ampliar ainda mais essa fatia.

O montante emprestado pelo banco evoluiu 29,1% no primeiro trimestre deste ano em comparação ao mesmo período de 2013, alcançando R$ 284,3 bilhões. A última edição do Feirão da Casa Própria, ocorrida em maio passado, gerou 11,72% mais recursos que no ano passado, movimentando R$ 15,6 bilhões.

De olho nesse crescimento, os bancos privados anunciaram recentemente que vão brigar para abocanhar clientes para sua carteira de crédito imobiliário, em detrimento do financiamento de veículos, que historicamente tem mais risco de inadimplência.

(do iG)

Notícias relacionadas