menu

Economia

16/11/2015


Como ex-mais rico do mundo perdeu US$ 15 bilhões em questão de meses

Dono da Claro

ITU/Creative Commons – 16.3.13

Slim: em cerca de dois meses, fortuna do mexicano caiu da 2ª para a 5ª posição, segundo a Forbes

De fato, em sua lista dos homens mais ricos do mundo, atualizada todos os dias, o mexicano caiu para a quinta posição.

Na lista da revista Forbes de outubro ele aparece em quarto lugar (estava em 2º em setembro), atrás de Bill Gates, dono da Microsoft, do espanhol Amâncio Ortega, dono das lojas Zara, e do investidor americano Warren Buffet.

Mesmo assim, o Grupo Carso, consórcio de Carlos Slim, não vê motivos para preocupação. "Não há preocupação porque as perdas que foram vistas são no mercado, no valor da ação", disse à BBC Mundo Arturo Elías Ayub, porta-voz do grupo. "O importante é que as empresas estejam operando de maneira correta e sadia, e isso está acontecendo."

Bill Gates, fundador da Microsoft, lidera ranking
Divulgação

Bill Gates, fundador da Microsoft, lidera ranking

Mais competição
Uma das razões para a diminuição da fortuna de Slim é o fraco desempenho de uma de suas principais empresas, a mineradora Minera Frisco, que há alguns anos enfrenta dificuldades por conta da queda internacional no preço dos metais, especialmente do ouro – que este ano chegou ao menor valor em seis anos. A cotização da companhia na bolsa de valores caiu pela metade, segundo estimativas de especialistas.

Mas a crise também influencia o setor de telefonia, especialmente no México. A América Móvil, um dos negócios mais importantes do Grupo Carso, teve de lidar com o endurecimento de regulações durante a recente reforma das telecomunicações no país.

A competição local se acirrou quando a empresa americana AT&T se associou às operadoras Iusacell e Nextel. Segundo Eduardo Hernández, analista do grupo financeiro mexicano Ve por Más, isso complicou a situação da empresa de Slim.

"A nível macro na América Latina, e agora no México e em parte da América Central, a AT&T realizou fusões com empresas nacionais com melhores preços e que estão mais próximas das pessoas", explica. "Os preços que a empresa de Slim praticava eram exorbitantes, acho que os mais altos a nível mundial."

O fator dólar
Outro fator que contribuiu para a perda de Slim foi o câmbio nos países onde suas empresas operam. A América Móvil, por exemplo, cobra seus serviços em pesos, mas muitos de seus gastos são em dólar.

Desde o início de 2015, a moeda mexicana se desvalorizou quase 30% em relação ao dólar, segundo dados do Banco do México. No entanto, Elías Ayub diz que isso também não é um problema de peso.

Veja a lista dos maiores bilionários do Brasil

Jorge Paulo Lemann - cervejaria e investimentos - R$ 83,70 bilhões. Foto: DivulgaçãoJoseph Safra - setor bancário - R$ 52,90 bilhões. Foto: Getty ImagesMarcel Telles - cervejaria e investimentos - R$ 42,26 bilhões. Foto: DivulgaçãoCarlos Alberto Sicupira - cervejaria e investimentos - R$ 36,93 bilhões. Foto: ReproduçãoJoão Roberto Marinho - Mídia - R$ 23,80 bilhões. Foto: Agência BrasilJosé Roberto Marinho - Mídia - R$ 23,80 bilhões. Foto: ReproduçãoRoberto Irineu Marinho - Mídia - R$ 23,80 bilhões. Foto: DivulgaçãoEduardo Saverin - Facebook - R$ 17,53 bilhões. Foto: ReproduçãoMarcelo Odebrecht - Construção e petroquímica - R$ 13,10 bilhões. Foto: ReproduçãoAbilio Diniz - Varejo - R$ 12,83 bilhões. Foto: Getty ImagesWalter Faria - Cervejaria - R$ 10,40 bilhões. Foto: ReproduçãoFrancisco Ivens -  indústria de alimentos - R$ 10,36 bilhões. Foto: ReproduçãoAndre Esteves - setor bancário e investimentos - R$ 9,07 bilhões. Foto: DivulgaçãoAloysio de Andrade Faria - setor bancário - R$ 8,45 bilhões. Foto: ReproduçãoJosé Luís Cutrale - Frutas - R$ 7,82 bilhões. Foto: ReproduçãoAlexandre Grendene Bartelle - Calçados e móveis - R$ 7,51 bilhões. Foto: ReproduçãoFernando Roberto Moreira Salles - setor bancário e mineração - R$ 7,45 bilhões. Foto: ReproduçãoJoão Moreira Salles - setor bancário e mineração - R$ 7,45 bilhões. Foto: ReproduçãoPedro Moreira Salles - setor bancário e mineração - R$ 7,45 bilhões. Foto: DivulgaçãoWalter Moreira Salles Junior - setor bancário e mineração - R$ 7,45 bilhões. Foto: Divulgação

"Há circunstâncias que fizeram com que os resultados não sejam tão bons, e elas são muito claras: os tipos de mudança nos diferentes países onde operamos."

"Os resultados em dólares obviamente tiveram uma deterioração, mas os resultados da operação das empresas em moedas locais são muitos bons, e isso é o que realmente nos preocupa sempre."

Empresários e especialistas mexicanos consideram Carlos Slim uma espécie de rei Midas (personagem da mitologia grega que tornava em ouro tudo o que tocava): os negócios dele costumam ter sucesso.

Com a atual crise, alguns se perguntam se será o fim de sua fama. Não parece provável. Eduardo Hernández diz que o magnata tem muitas possibilidades de superar os problemas, especialmente com a América Móvil.

"Há oportunidade de recuperação desde que a empresa se reinvente, saiba escutar mais as pessoas e moldar-se a suas necessidades", afirma. "Com melhores preços e planos que estejam de acordo com o que as pessoas podem pagar, pode recuperar bastante terreno."

Segundo a Bloomberg, no entanto, o prejuízo de Slim tem contribuído para conter o ritmo da inflação do México, um dos mais lentos do continente, já que os custos do consumidor com as telecomunicações foram reduzidos.

IG

Notícias relacionadas