menu

Brasil

29/04/2014


Consultoria de ex-sócios de Valério tenta descartar desvio de verba

POLÍTICA

Será concluída no próximo mês a auditoria contratada pelos ex-sócios de Marcos Valério, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach. O relatório quer provar que os R$ 73,8 milhões que saíram da Visanet – empresa chave no esquema do mensalão – foram usados em campanhas publicitárias. O pente fino nos contratos da DNA Propaganda entre 2003 e 2004 já conseguiu rastrear o destino de 95% do valor.

O balanço foi repassada pelo advogado de Paz, Castelar Guimarães Neto. Segundo ele, a partir do resultado, as defesas irão entrar, nos próximos meses, com o recurso chamado revisão criminal, no Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido é aceito, entre outras situações, quando há novas provas.

O rastreamento dos contratos da DNA é feito pela consultoria financeira Simonaggio Certeza Técnica, de São Paulo. Nessa segunda, os peritos responsáveis não retornaram as ligações da reportagem. O valor pago pelo trabalho iniciado em setembro e divulgado com exclusividade por O TEMPO nesse domingo, não foi revelado.

Para o STF, R$ 73,8 milhões que saíram da Visanet para a DNA arcar com gastos de publicidade, foram na verdade usados para pagar deputados da base do ex-presidente Lula, em troca da aprovação de projetos de interesse do Executivo.

Estevão Ferreira Melo, um dos advogados de Hollerbach, informou que com o material que já tem é possível reverter o julgamento. “Se comprovássemos que 5% do dinheiro do contrato com a Visanet foi para pagar serviços de publicidade já desmontaria a tese de que o dinheiro era distribuído de forma gratuita. Com o trabalho provamos que o valor não foi para deputados”, diz.

Melo informou que fornecedores e empresas de comunicação como jornais, emissoras de televisão e rádio estão sendo procuradas. “Se provamos que o valor foi pago, as empresas têm que provar que executaram o serviço. Se não, podemos entrar com ação contra elas”, disse.

Para Castelar Neto, a expectativa é reverter as condenações por peculato e evasão de divisas. A vitória poderia beneficiar outros réus.

Relação. Formada como um consórcio de várias empresas financeiras, a Visanet – bandeira de cartões de débito e de crédito – tinha um fundo de verbas publicitárias. O destino do recurso era decidido por cada um dos bancos associados. O Banco do Brasil, que tinha Henrique Pizzolato como diretor de marketing, escolheu a DNA.

Pena. Paz foi condenado a 25 anos por corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro. Já Hollerbach cumpre pena de 29 anos pelos mesmos crimes, e formação de quadrilha e evasão de divisas.

Dirceu

Consultoria. O ex-ministro José Dirceu também contratou auditoria para provar sua inocência, mas as defesas de Paz e Hollerbach garantem que o trabalho não é feito pela mesma empresa.

Laudo pode levar Genoino para a cadeia Brasília. O ex-presidente do PT condenado no julgamento do mensalão, José Genoino, apresenta um quadro “clínico plenamente estabilizado” e “aparente ótimo estado geral”, de acordo com laudo feito por médicos da Universidade de Brasília. O resultado dos exames, feitos no último dia 12, foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) e deve dificultar a manutenção do petista em prisão domiciliar, devido a problemas cardíacos. Outro condenado no mensalão, o ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE) deverá começar a trabalhar hoje em uma clínica médica em Garanhuns (PE), usando uma tornozeleira eletrônica. Ele receberá remuneração de três salários mínimos.  

Notícias relacionadas