menu

Política

15/06/2015


Contra o PT, Cunha ameaça fim das desonerações

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), prepara nova série de reação ao PT em votações da casa. As vaias recebidas no congresso nacional da sigla teria sido a ‘gota d’agua’ de uma relação bastante instável.

Segundo a colunista Vera Magalhães, ele avisou a aliados que vai reforçar “cada vez mais” suas críticas ao PT, rumo a um rompimento entre as siglas, considerado “quase inevitável”.

“Irritada com ataques de petistas a Cunha e com articulações para minar Michel Temer, a bancada do PMDB prepara uma contraofensiva na Câmara e ameaça dificultar a aprovação do projeto que revê as desonerações”, afirma a jornalista.

Rumores do Planalto na semana passada indicavam que o ministro-chefe da Casa Civil defendeu que seja nomeado alguém para a Secretaria de Relações Institucionais (SRI), restringindo Temer apenas a "grande política".

Caciques do PMDB pressionam para que a presidente Dilma Rousseff condene as investidas dos petistas contra o PMDB. Também querem o fim da proposta petista de recriar a CPMF.

Por trás da nova manobra contra o governo, estaria o projeto de Cunha de se lançar à Presidência em 2018.

"Este modelo PMDB com o PT está esgotado. Temos obrigação de dar sustentabilidade política para o governo dela (Dilma Rousseff). Mas o PMDB vai buscar o seu caminho em 2018. Não vejo o PMDB de novo numa candidatura do PT", disse Cunha em entrevista aos jornalistas Daniel Carvalho e Erich Decat, do Estado de S. Paulo, deste final de semana.

Brasil 247 

Notícias relacionadas