menu

Brasil

11/06/2014


Contra uso eleitoral da seleção, Felipão agradece Dilma e Aécio por apoio

Copa do Mundo

Antes de ouvir qualquer pergunta sobre a partida da seleção brasileira contra a Croácia, o jogo de abertura da Copa do Mundo nesta quinta-feira, Luiz Felipe Scolari leu uma mensagem clara, nesta quarta-feira, na coletiva de imprensa antes do último treino para a partida. Ele agradeceu o apoio de diferentes políticos numa intenção óbvia de não ter ninguém fazendo uso político da sua equipe visando as eleições de outubro.

“Em primeiro lugar, gostaria de agradecer em nome da comissão técnica, a presidente Dilma, o senador Aécio Neves, que telefonaram em apoio. Aos ex-presidentes, Lula, Fernando Henrique a Gilmar Menes e acima de tudo aos que enviaram cartas de apoio. Desde a chegada em todos lugares por onde passamos, as pessoas demonstraram o carinho pela seleção. A todos esses e ao povo brasileiro digo que chegou a hora. Vamos todos juntos para vencer o nosso Mundial”, disse o técnico.

O técnico repetiu o que havia dito no dia 7 de maio, data da convocação final do time para a Copa do Mundo. Ele não quer que nenhum político tente se aproveitar da situação.

“Espero que tenham o bom senso de que este não é o momento. Agora o que interessa é o trabalho e focarmos na seleção brasileira. É preciso que a gente tenha esse respeito”, disse o treinador.

Em 1950, a oportunidade de aparecer em torno do time do Brasil antes da partida decisiva contra o Uruguai levou milhares de políticos à concentração do time, que não teve a preparação ideal para o jogo.

Notícias relacionadas