menu

Brasil

19/11/2013


Convidado pela ONU, prefeito do Recife discute meio ambiente na Polônia

Pernambuco

O prefeito do Recife, Geraldo Julio, desembarca na noite desta quarta-feira (20), em Varsóvia, na Polônia, onde participará da Conferência das Partes (COP-19), evento da ONU sobre Mudanças Climáticas. A COP-19, que teve início no último dia 1, reúne cerca de 190 países que participam das negociações para definir a segunda fase de implementação do protocolo de Quioto, com novas metas para reduzir as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE).

A participação da capital pernambucana se destacará com a presença do prefeito na mesa “Diálogos entre Ministros e Prefeitos”, no dia 21 de novembro, às 9h30 (horário da Polônia). O debate terá a presença do secretário geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon e faz parte da agenda central da COP. Às 15h30 do mesmo dia, o prefeito participa de outra mesa de debates, desta vez na programação paralela do evento.

Recife foi a única cidade da América Latina convidada a participar do evento da ONU. Geraldo Julio dividirá a mesa com os chefes de governos locais de Shenzen (China), Thane Municipal Corporation (Índia) e Vancouver (Canadá), entre outros. As discussões vão focar as estratégias de mitigação frente às mudanças climáticas.
"Neste contexto, vamos abordar a implementação do programa internacional Urban LEDS sobre desenvolvimento sustentável, promovido pela ONU-Habitat. Nossa meta é racionalizar o uso dos recursos naturais e neutralizar a emissão dos gases de efeito estufa no Recife", disse Geraldo Julio, que retorna ao Recife já nesta sexta-feira. Neste período, o vice-prefeito Luciano Siqueira assumirá a Prefeitura do Recife pela primeira vez.

De acordo com a secretária de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Cida Pedrosa, que acompanhará o prefeito na viagem, o grande diferencial desta COP é a possibilidade de se melhor contextualizar o papel das cidades no âmbito dos acordos internacionais, que hoje não são envolvidas nas discussões. “Vamos colocar os riscos que as cidades enfrentam em relação às mudanças climáticas e algumas iniciativas para reversão do quadro. As cidades são um celeiro do processo de sustentabilidade. Além disso, reforçaremos o debate sobre acesso a apoio técnico e abertura de linhas de financiamento nos novos tratados”, frisou.

Notícias relacionadas