menu

Brasil

28/03/2015


Copiloto da Germanwings prometia gesto para que todos lembrassem dele

Andreas Lubitz, copiloto do voo da Germanwings e apontado como o responsável pelo acidente que matou outras 149 pessoas, nos Alpes Franceses, na última terça-feira (24), queria fazer algo grande e espetacular, segundo uma ex-namorada ouvida pelo tabloide alemão Bild. Segundo a publicação, Maria (nome fictício), de 26 anos, que é aeromoça namorou Lubitz por cerca de 5 meses, disse que o copilopo sempre falava que faria algo que "mudaria o sistema" e "faria todos lembrarem dele". "Na hora não fazia sentido, mas agora faz", disse ela.


"Quando eu ouvi sobre o acidente, lembrei que ele dizia que um dia iria fazer algo grande que vai mudar o sistema e fazer todos saberem meu nome e lembrarem de mim. Eu não sabia o que ele queria dizer na época, mas agora está claro". 

Para ela, o motivo de ele ter jogado propositalmente o avião contra as montanhas foi a impossibilidade de concretizar o sonho de se tornar piloto de grandes distâncias por causa dos seus problemas de saúde.

As investigações apontaram que Lubitz tinha depressão e que passou por tratamento psiquiátrico há cerca de cinco anos. O copiloto tinha também um atestado médico para o dia do acidente, segundo uma publicação alemã. O documento não foi entregue à companhia aérea.  

Notícias relacionadas