menu

Brasil

20/06/2014


Costa Rica derrota a Itália, se classifica e elimina dois campeões de uma vez

Copa do Mundo

A Costa Rica venceu a Itália por 1 a 0 nesta sexta-feira, em Recife. A frase, que por si só causa espanto, é ainda mais chocante se colocada no contexto do grupo D da Copa do Mundo, o grupo da morte. Isso porque o resultado classifica a equipe da América Central para as oitavas de final, elimina a Inglaterra e ainda compromete o futuro de um segundo campeão do mundo: Itália ou Uruguai, que se enfrentam em Natal, na próxima terça-feira. Apenas um sobreviverá.

Se na estreia diante do Uruguai a Costa Rica era vista como zebra, nesta sexta-feira entrou em campo gozando do respeito do adversário. Prova disso é a retranca italiana armada no primeiro tempo, algo incomum para um time mais voltado ao ataque que à defesa. E foi justamente essa volta ao passado da Itália que permitiu aos costarriquenhos dominar taticamente o jogo.

Encurralada no campo de defesa, a Itália chegou a ter menos de 40% de posse de bola em alguns momentos do primeiro tempo. Conseguiu jogar apenas nos contra-ataques, nos quais, é bem verdade, foi até mais perigosa que o adversário quando se aproximou da área de Navas.

Isolado no ataque, Balotelli cansou de receber passes longos e bolas erguidas para a área. Em dois desses lances teve a chance de abrir o placar. Num lançamento de Pirlo, o atacante saiu na cara do goleiro e tentou encobri-lo, mas chutou torto. Mais tarde, Balotelli surgiu por trás da zaga totalmente livre e chutou em cima de Navas.

A Itália já havia equilibrado o jogo quando a Costa Rica ganhou novo fôlego, ganhou terreno novamente e voltou a pressionar. Aí surgiu o árbitro chileno Enrique Osses, que ignorou um pênalti cometido por Chiellini em Campbell. O costarriquenho invadiu a área em ótima condição e levou um tranco por trás do zagueiro italiano.

A atuação de Osses só não foi mais desastrosa porque ele contou com a ajuda do olho eletrônico. Aos 44 minutos, Díaz cruzou da esquerda, Ruiz apareceu livre no segundo pau e cabeceou no travessão. A bola pingou depois da linha, e a tecnologia ajudou a detectar o gol da Costa Rica.

Eficiente no ataque, como ficou evidente no primeiro tempo, a Costa Rica mostrou que também sabe se defender. Com Cassano e Insigne em campo, a Itália se lançou ao ataque na etapa final, mas não foi efetiva. Sequer criou perigo contra o gol de Navas, e a Costa Rica assegurou uma vitória ainda mais fácil do que na estreia diante do Uruguai.

Notícias relacionadas