menu

Brasil

24/05/2015


Coutinho estréia na Mídia nacional e se apresenta como alternativa no PS

Domingo, 24, consolida um novo estágio na trajetória política do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, ao participar do programa “É Notícia”, da REDETV, ancorado pela jornalista Amanda Klein, quando contesta a pressa do PSB em gerar a fusão com o PPS sem ouvir mais atentamente os governadores e trata de muitas questões nacionais, a exemplo da reforma política, da pauta acelerada na Câmara Federal, dos efeitos do Ajuste Fiscal, etc. É o que revela o analistaq político e economico Walter Santos no seu Blog na WSCOM e no Brasil247.

 

Ricardo Coutinho estréia na mídia nacional com a performance de um líder politico vencedor, a partir de sua base primeira – a Paraiba, onde foi vereador, deputado estadual, prefeito de João Pessoa por duas vezes e, recentemente, reeleito derrotando o “mito” e ex-governador Cássio Cunha Lima, então considerado imbatível, mas na prática superado pelo conjunto de obras e ações do governador socialista.

 

Os dados recentes provam a ascensão de Ricardo Coutinho dentro e fora do PSB e de seu Estado. No campo político da representação, por exemplo, ele tem sido escolhido com frequência pelos 8 outros governadores do Nordeste para expor o posicionamento e reivindicações da Região que, embora seja lembrado pelo Bolsa Família, é quem mais cresce no País em face do desempenho econômico interno.

 

Dias atrás, no Congresso Nacional, o governador paraibano foi quem, diante da presença de todos os demais chefes de executivo do País , representou o conjunto de lideres do Nordeste pontuando a necessidade premente de se criar uma agenda com cronologia à vista para de vez resolver o tal Pacto Federativo, onde desigualdades entre União, Estados e Municípios perduram há anos.

 

A CRÍTICA DE RICARDO À PRESSA DA FUSÃO

 

Quando for ao ar, às 23h45, na REDETV, o governador responderá à jornalista Amanda Kleim considerando que a cúpula do PSB e do PPS anda construindo um discurso de que a fusão entre os partidos está resolvida, mas ele discorda deste pronunciamento porque critica a pressa de se chegar a este estágio presumível sem que tenha havido a participação mas efetiva dos governadores no encaminhamento deste processo.

 

– Não considero que a fusão já esteja pronta e resolvida – dirá o governador criticando a ausência de influência e encaminhamento envolvendo os governadores.

 

Ricardo é uma liderança emergente advinda do Nordeste porque as lideranças a partir do Estado de Pernambuco, terra natal do ex-governador e ex-presidente do partido, Eduardo Campos, não têm ainda estatura política de comando partidário nacional, nem mesmo o senador Fernando Bezerra Coelho, ex – Ministro da Integração Nacional, mas que a citação do seu nome na Lava Jato atrapalha.

 

Por vários fatores, gradativamente o governador paraibano vai se credenciando no âmbito do partido e fora dele até porque é o único do PSB reeleito na recente disputa.

 

ANÁLISE NACIONAL A PARTIR DA REFORMA E AJUSTE FISCAL

 

Ricardo Coutinho tem posição clara sobre a Reforma Política ao se posicionar contra o chamado Distritão. Ele conceitua que este formato e/ou modelo de representação é elitista e privilegia quem tem capital, por isso é a favor do fim do financiamento privado de campanha ao entender que, a partir deste entranhamento, há terreno fértil para a corrupção.

 

Defensor da governabilidade da presidenta Dilma Rousseff, ele critica as políticas de ajuste fiscal que por ventura afetem necessidades de recursos urgentes para resolver dramas sociais graves advindos da estiagem prolongada no Nordeste. Pelo menos neste aspecto, o Pacote anunciando na semana finda preserva os recursos hídricos e acessórios.

 

O governador comente ainda para a importância do presidente da Câmara Federal pautar o debate e aprovação de matérias há anos encalhadas no Congresso, entretanto, adverte para que a pressa imposta pelo presidente Eduardo Cunha não venha a criar prejuízos para setores da sociedade, sobretudo, os mais necessitados na cadeia produtiva nacional.

 

Em síntese, Ricardo Coutinho deflagra a partir deste domingo um novo estágio de vida político – administrativa com símbolos e discurso de quem tem condições de crescer imagem e conceito em todo Brasil.

ÚLTIMA

“Essa alma quer reza…”

 

 

Da Redação
WSCOM Online

Notícias relacionadas