menu

Brasil

26/06/2014


Cristiano Ronaldo marca, mas perde chances e Portugal cai mesmo com vitória

Copa do Mundo

O melhor do mundo finalmente balançou as redes na Copa do Mundo no Brasil. Mas o gol, aos 35 minutos do segundo tempo, não foi o suficiente para colocar um sorriso no rosto de Cristiano Ronaldo, apesar de garantir a vitória de Portugal sobre Gana por 2 a 1. O resultado deixou a seleção portuguesa com os mesmos quatro pontos dos Estados Unidos no grupo G do Mundial, mas, graças ao saldo de gols, a equipe europeia deu adeus ao torneio.

Se nos jogos anteriores não teve muitas chances para marcar, dessa vez Cristiano Ronaldo teve uma série de oportunidades. A missão de golear por quatro gols de diferença, claro, era das mais difíceis, mas poderia ter ficado mais próxima não fosse a má pontaria do camisa 7. O atacante perdeu ao menos três excelentes jogadas de gol: um cabeceio no primeiro tempo, quando o placar ainda estava em 0 a 0, e dois chutes cara a cara com o goleiro no fim do jogo, quando Portugal já liderava por 2 a 1.

A seleção de Gana conseguiu evitar que suas polêmicas extracampo atrapalhassem o desempenho do time. Mas, para quem precisava de apenas um gol para se classificar quando o jogo estava empatado, faltou vontade. Com a eliminação, a seleção africana fica fora das oitavas-de-final da Copa pela primeira vez em sua terceira participação no torneio.

Cristiano Ronaldo martela, mas Portugal só abre o placar com gol contra

Única grande estrela ainda sem gols na Copa do Mundo, Cristiano Ronaldo não pode ser acusado de não ter tentado no primeiro tempo contra Gana. Logo aos cinco minutos, o português acertou o travessão adversário em uma tentativa de cruzamento. Aos 18, teve ótima chance ao receber bola alçada da direita, mas viu seu cabeceio ser defendido pelo goleiro Dauda.

Apesar das boas chegadas, Portugal não conseguia furar a defesa ganesa, até que um dos defensores fez o serviço contra a própria meta. Miguel Veloso, que vinha errando cruzamentos em sequência, tentou novamente e, mais uma vez, a jogada não daria em nada. Mas o desvio de John Boye, que tentou afastar para fora, acabou mandando a bola para o fundo da rede e deixando a seleção europeia em vantagem aos 30 minutos.

Mesmo em desvantagem e com toda a crise fora de campo, Gana não era um adversário totalmente inofensivo para Portugal e também chegou ao ataque, embora todas as tentativas tenham sido evitadas com tranquilidade pelo goleiro Beto. Cristiano Ronaldo ainda tentaria mais uma vez logo após o gol, aos 31 minutos, mas embora parecesse maduro, seu primeiro gol na Copa teimou em não sair.

Esperança portuguesa dura dois minutos e gol de Cristiano Ronaldo é inútil

Com dez minutos da etapa final, a seleção portuguesa passou a depender apenas de si mesma para se classificar, já que a Alemanha abriu o placar no jogo contra os EUA em Pernambuco. Mas a esperança durou pouco. Dois minutos depois, Asamoah Gyan aproveitou cruzamento de Kwadwo Asamoah e marcou de cabeça, empatando o jogo e tornando-se o maior goleador africano em Copas, com seis gols.

O empate momentâneo obrigava Portugal a marcar mais quatro vezes para se classificar, enquanto Gana se viu a apenas um gol da vaga. E a situação pareceu animar os africanos, que por duas vezes tiveram boas chances em cabeceios de Waris, mas ambos foram para fora. Do lado português, com Cristiano Ronaldo isolado, poucas ameaças eram criadas.

Somente quando faltavam dez minutos, o melhor do mundo finalmente conseguiu balançar as redes. Após cruzamento de Nani da esquerda, o goleiro Dauda cedeu o rebote dentro da área e CR7 não perdoou. Mas não houve forças para buscar a goleada histórica que Portugal precisava. Nos últimos minutos, o camisa 7 ainda perdeu dois gols cara a cara com o goleiro africano e o placar de 2 a 1, inalterado, eliminou as duas equipes.

Notícias relacionadas