menu

Rio Grande do Norte

21/08/2015


Dama de Espadas: Advogados pedem prazo para analisar autos do processo

A defesa da procuradora-geral da Assembleia Legislativa, Rita Mercês Reinaldo, e o Ministério Público concordaram em adiar o depoimento da suspeita de liderar esquema de corrupção no Poder Legislativo investigado na operação "Dama de Espadas". A oitiva ocorreria hoje, mas os advogados pediram mais tempo para analisar os autos do processo e afirmaram que, no momento, não pedirão relaxamento da prisão.

Os advogados Flaviano Gama e Anselmo Cortez acompanharam Rita das Mercês na sede da Promotoria do Patrimônio Público no início da tarde de hoje (21), onde os promotores Rafael Paes e Keiviany Sena ouviriam a suspeita. Porém, os juristas explicaram que precisariam de mais tempo para analisar os 40 volumes do processo.

"Pedimos que ela prestasse o depoimento depois que tivéssemos conhecimento da dimensão da investigação, que já dura seis anos. Ela está presa há pouco mais de 24 horas e a defesa, obviamente, ainda não teve acesso ao que se trata. A defesa quer saber dos detalhes para que ela possa dar as respostas e esclarecer os equívocos do Ministério Público", explicou o advogado Flaviano Gama.

De acordo com o advogado, a procuradora está ansiosa para falar, mas a própria defesa está aconselhando que ela aguarde a orientação.

"Ela está à disposição e acredito que até terça-feira (25) teremos condições de ver e ouvir tudo o que está no processo para passar para ela a melhor orientação. Queremos saber como o Ministério Público chegou a essa conclusão", disse o advogado.

Questionado sobre a possibilidade de pedido de relaxamento de prisão, Flaviano Gama disse que, no momento, isso não está sendo apreciado porque os advogados querem, primeiramente, tomar o conhecimento integral sobre o conteúdo completo do processo.

Tribuna do Norte 

Notícias relacionadas