menu

Brasil

27/03/2014


Declaração de Cid estimula nova ambição de petistas pelo governo

CEARÁ

Antes defendida por apenas um grupo do PT, tese de candidatura petista ao Estado ganhou novo ânimo com perspectiva de o Pros não lançar nomes ao governo. Novas adesões à proposta, no entanto, defendem manutenção da aliança com Cid Gomes (Pros), em direção oposta ao que prega a ex-prefeita Luizianne Lins, apoiadora de candidato próprio, mas com rompimento.

Na bancada petista presente ontem na Assembleia, apenas Dedé Teixeira defendeu que membros da legenda priorizem o Senado na eleição deste ano. Além dele, estavam na sessão os deputados Antônio Carlos, Rachel Marques e Francisco Pinheiro.

“Nós certamente temos nomes de destaque, como o Camilo Santana (deputado), que pode, em uma discussão de aliança, vir a ser sim nosso candidato ao governo. Isso será colocado como possibilidade no nosso encontro de tática neste sábado”, disse a líder do PT na Assembleia, Rachel Marques. É a primeira vez que a petista considera abertamente a tese de candidatura própria do partido.

Já Francisco Pinheiro defendeu que o partido avance no sentido de indicar nome ao governo. Ele frisa, no entanto, que, diferentemente do que prega Luizianne Lins, apoia que indicação petista seja abençoada por Cid Gomes (Pros), mantendo a aliança com o governador no Estado.

Membro do grupo da ex-prefeita no PT, o deputado Antônio Carlos diz que a opção de Ciro Gomes concorrer ao Senado pode sim fazer com que petistas avaliem indicação ao governo. Ele pontua, porém, que decisão deve ser do partido, sem interferência do govenador, e cita o nome da própria Luizianne como possível candidata.

Dedé Teixeira foi o único a descartar perspectiva de candidatura ao governo. Segundo ele, o partido deve, neste sábado, confirmar preferência pelo Senado. Dedé integra a corrente de José Guimarães, pré-candidato ao Senado.

Cid e Luizianne
Na tarde de ontem, Cid Gomes disse estar disposto a conversar com lideranças de “qualquer partido que me procurem”. Até Luizianne: “No dia em que a ex-prefeita Luizianne quiser conversar comigo, eu estou às ordens para atendê-la”, disse. (colaborou Bruno de Castro)

(Jornal O Povo)

Notícias relacionadas