menu

Rio Grande do Norte

04/01/2018


Delegacias da PM seguem fechadas e com viaturas paradas

O policiamento em Natal e Região Metropolitana segue desfalcado. Após decisão judicial determinando o retorno dos policiais às ruas e a publicação da portaria que informava que os agentes de segurança que desobedecessem as ordens seriam presos, as delegacias de Polícia em Natal seguem fechadas e os batalhões seguem com viaturas paradas na manhã desta quinta-feira (4).Na quarta-feira (3), um dia após a publicação da portaria que determinava a prisão dos policiais que descumprissem a ordem judicial para o retorno ao trabalho, os policiais civis fizeram protesto em frente à Degepol, onde eles mesmos se algemaram. Afirmando que não havia condições de retomar as atividades sem o pagamento dos salários, os policiais disseram que permaneceriam atuando em escala e somente com as delegacias de Plantão funcionando para o atendimento. E a informação se confirmou nesta quinta-feira.

Até as 9h20, somente as delegacias de Plantão das zonas Norte e Sul estavam funcionando. “Não vai haver atendimento. Só nas plantões”, confirmou um agente na 1ª DP, na Cidade Alta.

Já nos batalhões, a situação piorou, se comparada a terça e quarta-feira. Se logo após a portaria que determinou a prisão dos policiais que descumprissem a ordem de retomar as atividades, inclusive em viaturas sem as condições ideais, algumas viaturas circularam nas ruas da cidade, pela manhã desta quinta-feira poucas foram vistas nas ruas. No 1º Batalhão, nas Rocas, nenhuma viatura havia saído até as 9h. Segundo associações que representam a PM, 80% da tropa segue mobilizada.

Discussões

Para esta quinta-feira, os policiais civis e militares têm agendadas reuniões. Enquanto o Sinpol realiza desde as 8h uma assembleia para discutir os rumos da paralisação, os policiais militares aguardam encontro, às 18h, com representantes do Governo do Estado.

Até o momento, o Governo informou que pagará no sábado (6) os salários de novembro dos servidores quem recebe mais de R$ 4 mil. Não há, no entanto, previsão para o pagamento dos meses de dezembro e 13º.

Tribuna do Norte

Notícias relacionadas