menu

Brasil

28/05/2015


Depoimento de ex-prefeita de Nata, Micarla de Souza, é adiado

As declarações da ex-funcionária da Controladoria Geral do Município (Control), Gabriela Marinho Ramos de que os contratos com organizações sociais (OS), como a Associação Marca e a ITCI não passavam pelo crivo do órgão e que seus técnicos tinham “receio e temor” de analisar os processos de contratação, levaram o juiz Walter Nunes da Silva Júnior (2ª Vara da Justiça Federal) a decidir pela convocação da ex-controladora do Município, Regina Mota, para prestar depoimento na instrução de julgamento de 11 réus envolvidos na ação judicial da “Operação Assepsia”. Com isso, foram adiados para a tarde da segunda-feira (8/6) os interrogatórios de nove réus, inclusive o da ex-prefeita de Natal, Micarla de Sousa.

Gabriela Ramos foi arrolada como testemunha de defesa e, na tarde de ontem, disse perante o juiz Walter Nunes e diante do representante do Ministério Público Federal, procurador Fernando Rocha, que havia uma ‘rixa’ entre a ex-controladora Regina Rocha e o procurador geral do Município na gestão da ex-prefeita, Bruno Macedo Dantas, “que não se davam bem” e “chegaram ao ponto de não se falar mais”.

O juiz Walter Nunes Júnior fracionou a data dos interrogatórios em decorrência de uma testemunha – Sidney Gonzales – não ter comparecido à Justiça Federal, no Rio de Janeiro, capital. O magistrado acolheu a justificativa dada pelo advogado Marcelo Ribeiro Mendes de que a testemunha era divorciada e teve que acompanhar a filha numa peça teatral num colégio do Rio, remarcando para as 16 horas do dia 8 a videoconferência com essa testemunha, enquanto a oitiva de Regina Mota ficou para as 13 horas desse mesmo dia.

Por conta disso, apenas dois réus serão interrogados a partir das 14 horas de hoje (28), na sala de audiência da 2ª Vara da Justiça Federal, no quarto andar do fórum da Justiça Federal, em Lagoa Nova: o secretário municipal de Administração, Antonio Soares Luna, que estava chegando nesta madrugada de São Paulo (SP) e Thobias Tavares Gurgel, que atuou na assessoria jurídica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) no período em que era secretário Thiago Barbosa Trindade.

No caso de Thiago, o interrogatório ocorrerá no dia 8, além do radialista. Nesse mesmo dia serão ouvidos, além dele e da ex-prefeita: o ex-procurador geral do Município, Alexandre Magno Alves de Souza, Anna Karina Cavalcante da Silva, Carlos Fernando Pimentel Bacelar Viana, Francisco de Assis Rocha Viana e Annie Azevedo da Cunha Lima.

Número
9 réus devem depor no próximo dia 8 de junho, entre eles, a ex-prefeita de Natal, Micarla de Souza..

Notícias relacionadas