menu

Brasil

14/05/2014


Deputados aprovam empréstimo para obras de infraestrutura no Estado

Bahia

Sem os votos dos oposicionistas, que dessa vez sairam do plenário na hora da votação como forma de protesto, a Assembleia Legislativa aprovou ontem o projeto de lei, que autoriza o empréstimo no valor de US$ 400 milhões junto ao BIRD – Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento. A operação de crédito deve ser aplicada no Programa de Inclusão e Desenvolvimento Socioeconômico do Estado da Bahia – Proinclusão II, que, conforme o governo, tem como base o investimento em infraestrutura em todo o estado. Além disso, foi aprovada uma proposta de alienação de um imóvel, no Canela, em Salvador.
Em meio à obstrução da bancada de oposição, que mais uma vez rechaçou a negociação, o líder do governo, deputado Zé Neto (PT), comemorou a aprovação. Segundo ele, essa é mais uma garantia de investimentos para o estado, que visa fortalecer o programa e a gestão de planejamento no setor público. Neto frisou o equilíbrio do nível de endividamento do estado, o que justifica a tomada de mais um empréstimo. “Nós estamos ainda no nível de endividamento abaixo de 0,8% da receita líquida. Quando chegamos ao governo estava em 1,4%.”, disse. O petista rebateu os posicionamentos contrários da oposição. “A oposição se habilitou a fazer política apenas na mídia, sem propostas. Desse jeito vão ficar uns 20 anos na oposição. Pagamos os rombos que eles deixaram e estamos em dia. Vale ressaltar o estado que tínhamos antes e como temos hoje. Dá pra ver”, afirmou.
Contudo, os argumentos não convencem a bancada contrária. O vice-líder da oposição, Carlos Gaban (DEM), contestou ao lembrar que em 2012, o estado teria recebido R$ 1,5 bilhões do Bird para o mesmo programa, mas apenas 4,7% deste valor foram investidos.
O democrata criticou o relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE) das contas do estado em 2011, aprovado ontem na Comissão de Fiscalização e Finanças “que trata a educação e da segurança como maravilhas, justamente em um ano que a greve na rede pública estadual atingiu cem dias”. “Hoje (ontem) a oposição saiu enquanto o deputado Cacá Leão (PP) relatava o projeto do empréstimo porque não quisemos testemunhar aquilo. Achamos mais formal que eles arcassem com o ônus de aprovarem algo sem nenhum plano de trabalho. A maioria que lá estava acha que ajudar o governo é simplesmente votar a favor sem discutir”, disparou. 

Notícias relacionadas