menu

Brasil

09/06/2015


Diálogo Dilma-Alckmin é jogo de ganha-ganha

A aproximação entre a presidente Dilma Rousseff e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, no tema da maioridade penal mereceu uma boa análise do jornalista Paulo Celso Pereira, publicada nos jornais Extra e o O Globo.

Segundo ele, trata-se de um jogo de "ganha-ganha", com benefícios para os dois lados. No sábado, Alckmin se disse disposto a dialogar com o PT sobre o tema. Ontem, o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, aceitou o convite, ao falar em nome do governo federal.

Essa aproximação isola o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que, desde a derrota na sucessão presidencial, tem adotado posturas intransigentes e apostado na linha do 'quanto pior melhor'.

"Para Alckmin, a aproximação também tem efeitos positivos. Ainda que possa gerar incômodo em setores de seu partido, o governador ganha exposição nacional e se apresenta publicamente como uma voz "soft" da oposição. Historicamente visto por petistas como o nome mais conservador dos tucanos, o paulista tornou-se o interlocutor possível – após todas as pontes com Aécio Neves serem incineradas nos ataques da eleição passada", diz Paulo Celso Pereira.

"Dilma tem na momentânea aliança com o paulista a oportunidade de evitar o cenário considerado trágico para o governo e o PT: a redução irrestrita para 16 anos. Para Alckmin, o acordo com Dilma lhe garante um espaço definido na oposição e na mídia. Em suma, um jogo de ganha-ganha. Mesmo que o Congresso os derrote", completa o jornalista.

Brasil 247

Notícias relacionadas