menu

Brasil

01/05/2015


Dilma se pronuncia em Redes Sociais apontando avanços do trabalhador

A presidente Dilma Rousseff divulgou no início da manhã deste Primeiro de Maio sua primeira mensagem ao trabalhador. Em vídeo publicado na página do Palácio do Planalto no Facebook, ela destaca as conquistas do trabalhador nos últimos 13 anos de governo do PT.

 

Ela menciona a valorização do salário mínimo e a classifica como "uma das maiores conquistas desse período". Dilma lembra que enviou ao Congresso, em março desse ano, uma medida provisória que garante a política de valorização do salário mínimo até 2019.

 

"Por lei, vamos assegurar o aumento do poder de compra do trabalhador", diz. Segundo Dilma, por conta da aprovação, em 2011, de uma lei "semelhante a essa", foi possível registrar o crescimento de 14,8% do salário mínimo acima da inflação em seu primeiro mandato.

 

A presidente também destaca ter enviado ao Congresso a correção da tabela do imposto de renda. "Com ela, o trabalhador terá seu salário preservado e não irá pagar um imposto maior", comenta. "Tudo isso vem garantindo um Brasil mais justo", conclui Dilma.

 

Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, que teve acesso aos vídeos que ainda serão divulgados ao longo desta sexta-feira 1º, a presidente deverá alfinetar o governador Beto Richa (PSDB), em crítica à violência da polícia do Paraná contra professores da rede estadual, e voltará a se manifestar contra a ampliação da terceirização, como fez ontem durante reunião com líderes das centrais sindicais.

 

"É preciso assegurar ao trabalhador a garantia dos direitos conquistados nas negociações salariais, proteger a previdência social. O meu governo tem o compromisso de manter os direitos e as garantias dos trabalhadores", diz a mensagem de um dos vídeos.

 

Em uma mensagem indireta a Richa, ela afirma que, em plena democracia, "temos que nos acostumar às vozes das ruas, aos pleitos dos trabalhadores, reconhecer como legítimas as reivindicações de todos os segmentos sociais da população", sem "violência e sem repressão".

Em sua página pessoal, Dilma publicou uma mensagem em que afirma estar "do lado do interesse dos trabalhadores e trabalhadoras desse País

BRASIL 247

Notícias relacionadas