menu

Brasil

26/06/2015


Dilma vê preconceito de gênero na maneira como seu governo é criticado

A presidente Dilma Rousseff acredita que há “um pouco de preconceito de gênero” na maneira como seu governo é descrito. Em entrevista ao Washington Post, ela disse ainda que nunca viu alguém falar que um presidente do sexo masculino coloca o dedo em tudo.

Ela fez a declaração sobre o preconceito ao ser perguntada sobre ser considerada ser muito controladora e estar mudando esta postura ao dar poder ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e ao vice-presidente, Michel Temer, para negociar com o Congresso.

“Você já ouviu alguém dizer que um homem presidente põe seu dedo em tudo? Eu nunca ouvi isso.
Você acha que este é um comentário sexista?
Acredito que tem um pouco de preconceito sexual ou de viés de gênero. Eu sou descrita como uma mulher forte e difícil que põe o nariz em tudo que não deveria e também me dizem que estou cercada por homens muito bonitos.”
Sobre a sua baixa popularidade, a presidente enfatizou que estar preocupada não significa que ela esteja perdendo os cabelos. “Você tem que viver com críticas e preconceito. Não tenho problemas em cometer erros. Quando alguém comete um erro, deve mudar”, explicou.

Economia

Ao Washington Post, a presidente insistiu que a política econômica funcionou por sete anos, que neste período não houve redução de emprego nem salários.

Ela também explicou que as medidas do ajuste fiscal não são um fim em si mesmas, mas que tem como objetivo fazer com que o País volte a crescer.

De viagem marcada para os Estados Unidos amanhã (27), a presidente disse esperar uma parceria maior e lembrou que o país é o maior investidor privado no Brasil,

“Nós compartilhamos uma visão que pode nos levar a uma parceria maior na agenda de mudança climáticas. Nesta viagem, eu espero me aproximar de acordos em ciência, tecnologia e inovação. Também esperamos corporação na educação, particularmente na educação básica.”

Notícias relacionadas