menu

Brasil

14/04/2015


Dnit nomeia sete novos diretores e inicia reforma na estrutura

 Depois de ter a cúpula afastada na "faxina" feita pelo Palácio do Planalto no Ministério dos Transportes e nos órgãos ligados à pasta, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou que, após a recomposição provisória da diretoria, retomou ontem a normalidade de sua rotina administrativa. "No caso da Valec (estatal de obras ferroviárias) a suspensão será prorrogada por mais 30 dias, prazo dentro do qual já deverá ter sido reestruturada a diretoria da estatal", diz a nota.

 

O Diário Oficial da União publicou na edição de ontem a nomeação de mais sete integrantes para a cúpula do Dnit. De acordo com a publicação, os indicados pela presidente Dilma Rousseff (PT) devem ser empossados após passar por sabatina no Senado.

 

Foram nomeados Jorge Ernesto Pinto Fraxe (diretor-geral do Dnit); Tarcísio Gomes de Freitas (diretor-executivo); Mário Dirani, (diretoria de Infraestrutura Ferroviária); Roger da Silva Pêgas (diretor de Infraestrutura Rodoviária); Paulo de Tarso Oliveira (diretor de Administração e Finanças); Adão Magnus Marcondes Proença (diretor de Infraestrutura Aquaviária); e José Florentino Caixeta (diretor de Planejamento e Pesquisa).

 

A decisão foi assinada pela Presidência da República. Ontem, a publicação havia informado as de Luiz Heleno Albuquerque Filho, Eloi Angelo Palma Filho e Marcelo Almeida Pinheiro Chagas.

 

O órgão teve praticamente toda a sua cúpula afastada desde o começo do mês de julho, quando o Ministério dos Transportes passou a enfrentar acusações de corrupção ligadas ao departamento. Mais de 20 pessoas ligadas à pasta foram exoneradas ou afastadas.

Denúncias provocaram a renúncia de Alfredo Nascimento (PR) do comando da pasta no início de julho e o afastamento de diretores e funcionários que também estariam envolvidos nas irregularidades.

Reportagem da revista "Veja" revelou um suposto esquema de cobrança de propinas em obras federais da pasta e mencionou o nome de quatro pessoas, incluindo dois assessores diretos do então ministro dos Transportes.

O então diretor-geral do Dnit, Luiz Antonio Pagot, e o então diretor-presidente da Valec, José Francisco das Neves, também foram citados.

Senado

A Comissão de Infraestrutura do Senado aprovou, por unanimidade, na última quinta-feira convite para o ministro Paulo Sérgio Passos (Transportes) explicar as denúncias de corrupção na pasta que resultaram no afastamento do ex-ministro Nascimento.

TERCEIRIZAÇÃO

Contrato de R$ 18,9 mi com empresa é suspenso

Brasília. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) suspendeu o contrato de R$ 18,9 milhões com a empresa Tech Mix, fornecedora de mão de obra terceirizada. A decisão ocorre depois de o jornal "O Estado de S Paulo" revelar, no dia 17 de julho, que a empresa é de fachada e ganhou a licitação após a desclassificação de oito concorrentes que apresentaram preço inferior a esse valor.

A diretoria colegiada temporária do Dnit determinou ontem que uma auditoria terá 15 dias para investigar o contrato e apresentar um parecer. Após o parecer, a direção do departamento decidirá o futuro dos serviços prestados pela empresa, que não receberá recursos do órgão dos Transportes durante a suspensão do contrato.

A Tech Mix atuou num esquema com a Alvorada Comercial e Serviços, que fechou um contrato de R$ 13 milhões sem licitação com a Valec Engenharia, também vinculada ao Ministério dos Transportes. O dono da Tech Mix é marido da dona da empresa Alvorada. 

Notícias relacionadas