menu

Brasil

01/04/2014


Eduardo Amorim: “Minhas decisões estão atribuídas em esperança”

Sergipe

Em entrevista ao programa “Batalha na TV” na TV Cidade, nesta segunda-feira, 31, o senador foi enfático ao responder o apresentador Carlos Batalha sobre sua pré-candidatura ao governo do Estado. “As pessoas costumam sempre me perguntar sobre os demais pré-candidatos, se Dr. João e o senador Valadares irão ou não colocar seus nomes à disposição, eu digo que apenas respondo por mim e que a minha decisão já está tomada há muito tempo”, lembrou Eduardo.

Segundo o parlamentar, em meio a tantas mazelas em que o Estado vivencia, o faz ter mais certeza por suas decisões. “Respeito e respeitarei a todos sempre. Tenho certeza apenas sobre as minhas decisões que estão atribuídas em esperança por dias melhores. Não temos como cruzar os braços com o tamanho abusivo do déficit em nossa previdência. A situação do Estado é extremamente preocupante! Todo esse endividamento passará para R$ 1,5 bilhões e o governo do Estado não toma nenhuma iniciativa. Que gestão é essa?, questionou.

Eduardo ainda reafirmou que esse governo é sim, de propagandas enganosas. “Além dessas propagandas do governo serem apresentadas no horário nobre, eles utilizam dos benefícios trazidos pelo governo federal e atribui como se fossem do Estado. É muita enganação, é trágico demais tantas deficiências a todo instante estampadas nos jornais com repercussão nacional e eles preocupados em formular propagandas mentirosas”, salientou ainda o parlamentar.

Pautas

Dentre as pautas explanadas por Carlos Batalha, Eduardo Amorim ressaltou que após a assinatura do requerimento para a realização da CPI da Petrobrás, as ações não caíram. “Isso demonstra que não tem o que temer. É necessário que seja avaliado todas as questões e assim tentar solucioná-las. Estamos na expectativa para que tenhamos resultados favoráveis”.

Sobre a saída da promotora Euza Missano à frente da Promotoria de Justiça dos Direitos à Saúde, o senador Eduardo Amorim lamentou mais uma vez e ainda afirmou que as aquisições favoráveis à saúde do Estado se devem ao seu empenho. “A saúde está um caos, isso nós infelizmente temos consciência e ainda perdermos uma profissional como Dra. Euza. Só temos realmente a lamentar!”.

Como de costume, Eduardo Amorim fechou o quadro de entrevista passando mensagem de esperança por um Sergipe de conquistas. “Ainda presenciarei o estado de Sergipe como exemplo positivo aos demais e não mantê-lo nos índices de desaprovação, como o 5° mais violento do Brasil, além da desesperança a saúde e educação pública”, finalizou. 

Notícias relacionadas