menu

Brasil

09/05/2014


Eduardo Campos retorna à Bahia no mesmo dia de Aécio Neves e Lula

Bahia

Após confirmada a presença na Bahia, na segunda-feira (12/5), do ex-presidente Lula (PT), cabo eleitoral da presidente Dilma Rousseff (PT) e no campo adversário, o pré-candidato à Presidência, Aécio Neves (PSDB), que irá receber o título de cidadão soteropolitano, ontem foi a vez do também postulante ao Planalto, Eduardo Campos (PSB), avisar que vai desembarcar em solo baiano no mesmo dia.
Na disputa pela preferência do eleitorado baiano, o socialista estará ao lado das pré-candidatas ao governo do estado, Lídice da Mata, e ao Senado, Eliana Calmon, no terceiro maior colégio eleitoral da Bahia, Vitória da Conquista.
Na cidade, eles vão realizar o Seminário Dialogando com a Juventude, onde farão uma palestra voltada aos estudantes secundaristas e universitários, a partir das 10h, no auditório da Faculdade Independente do Nordeste – Fainor.
Antes, o ex-governador de Pernambuco deve conceder entrevista coletiva. Em seguida, Campos, Lídice e Eliana almoçam na companhia de lideranças do PSB no estado, prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, além de realizarem uma visita à sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Conquista.
Na estratégia de aproximação, Campos vai retornar à Bahia no dia 19, onde passará dois dias viajando pelo interior. Conforme a senadora Lídice, a comitiva vai passar por cinco cidades ainda a serem informadas. “A sua vinda agora não tem nada a ver com a passagem de Lula e Aécio. Já estava previsto e mudamos o roteiro dando prioridade às entrevistas coletivas”, afirmou a pré-candidata.

Lídice e Eliana tentam levantar militância
Enquanto Campos não chega, a pré-candidata ao governo e a postulante ao Senado agitam as agendas, no sentido de embalarem os discursos de pré-campanha e levantarem a militância. Hoje vai protagonizar o III Seminário Pensar a Bahia Sustentável, às 19h, no Colégio 2 de Julho, com debate sobre a educação, realizado pelo PSB.
“Faz parte da continuidade da discussão do programa de governo. Há uma semana falamos sobre saúde, amanhã educação e no dia 16 o tema será segurança. Estamos realizando reuniões internas com especialistas e colocando o nosso programa na internet para ser acessado e recolher contribuições. Com alguns estamos transformando os compromissos em programa de governo”, ressaltou Lídice.
A pré-candidata destaca que ainda não há fechamento da vice para a chapa. “As conversas continuam com os partidos menores que precisam fazer suas contas eleitorais, mas tenho a expectativa de fechar essa participação na próxima semana”, afirmou.
Os debates também têm sido diários para a pré-candidata ao Senado, a ministra aposentada do STJ, Eliana Calmon. Ontem ela participou da abertura da XXI Semana Jurídica, promovida pelo Instituto de Ensino Jurídico Unyahna, onde aproveitou para atacar a corrupção, destacando a existência no Poder Judiciário. “A corrupção no Poder Judiciário é de uma gravidade enorme, portanto intolerável sob qualquer aspecto”, afirmou.
A ex-ministra lembrou dos julgamentos que conduziu no STJ, referentes a operações da Polícia Federal, a exemplo da Dominó e da Navalha. Na primeira, a ministra, ao mandar prender o governador, o presidente da Assembleia Legislativa e do Tribunal de Contas de Rondônia, inaugurou, assim, os primeiros mandados de prisão expedidos no STJ.
Na operação Navalha, a ministra lembrou das medidas para prender membros de quadrilha de corruptos que atuavam em todo o país, inclusive na Bahia, episódio em que foi criticada internamente por ser violenta no trato com os corruptos. “Chegaram a mandar fazer auditoria na distribuição do STJ”, enfatizou.

Notícias relacionadas