menu

Brasil

08/08/2014


Eduardo defende o estímulo a pequenas e médias empresas

Política

Candidato à Presidência pela Coligação Unidos pelo Brasil, Eduardo Campos, propôs novos esforços para incentivar o crédito, o investimento e o estímulo à pequena e média empresa no Brasil, que sofrem com a alta carga tributária. Em entrevista coletiva realizada na sede da Sociedade Protetora dos Desvalidos, em Salvador (BA), ele avaliou a nova lei sancionada recentemente pelo governo, que universaliza o acesso ao Simples Nacional, a partir de 2015.

“O Simples foi uma conquista da luta da microempresa no Brasil de muito tempo. O governo federal chegou tardiamente nessa questão, que começou com o esforço dos Estados em diferenciar o tratamento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para as pequenas empresas”, declarou. “Precisamos de novas políticas de crédito, que viabilizem o treinamento, o acesso ao mercado, a inovação, a segurança jurídica e a simplificação da vida da microempresa”, avaliou Eduardo.

Para o presidenciável, é preciso avançar na discussão de um novo modelo tributário no Brasil, que proporcione às empresas enquadradas no Simples a geração de crédito e a transição para a média empresa. “Precisamos de um sistema tributário com a filosofia do Simples e que estimule o crescimento, sem penalizar”.

Eduardo reiterou seu compromisso de não aumentar os tributos no País. “Nos últimos 20 anos, o Brasil aumentou em 20% a carga de tributos sobre PIB. Precisamos de uma política em que os que ganham menos paguem menos. Hoje, quem mais paga são os que recebem até três salários mínimos, e implantar uma nova política para o que se arrecada seja transformado em conquista para sociedade e em um serviço público decente”, finalizou.

(Com assessoria)

Notícias relacionadas