menu

Pernambuco

16/03/2016


Eleições no Recife devem se polarizar entre prefeito e ex-prefeito

Por Pedro Callado

Matéria veiculada na 111ª edição da Revista Nordeste

Prefeito vs ex-prefeito no Recife

PSB e PT devem polarizar eleições no Recife. Aécio Neves quer impedir candidatura de candidato tucano visando apoio de socialistas em 2018

As eleições em Recife devem ser mais equilibradas do que foram em 2012, quando o prefeito Geraldo Júlio (PSB) foi eleito no 1º turno. Com aprovação de 63% na gestão, segundo pesquisa divulgada pela Folha de Pernambuco, ainda tem chances de se reeleger em apenas um turno, mas ainda é cedo para dizer. Os principais partidos políticos adversários do atual prefeito ainda estão definindo quem serão seus candidatos. O PT e o PSDB são dos dois que tem maiores chances de levar a disputa para um segundo turno, mas falta definirem como irão concorrer, especialmente os tucanos, que podem até mesmo apoiar o PSB e não lançar candidato próprio.

Secretário em duas pastas no Governo de Eduardo Campos, Júlio elegeu-se em 2012 sem a necessidade de um 2º turno. Com o apoio do então governador, conquistou 51% dos votos contra nomes com maior tradição na política como Humberto Costa e Mendonça Filho. Em entrevistas recentes, Júlio afirmou que está focado na administração e ainda não irá pensar em formação de chapa. “A gente não colocou isso em discussão. Vamos cuidar da eleição perto do prazo da eleição. Este ano mudou para a metade do tempo de campanha. Pertinho disso a gente cuida disso. Pertinho das eleições”, disse.

O PT deve ser o partido que irá equilibrar a disputa e apresentar um desafio para o prefeito Geraldo Júlio. O nome mais cotado é o do ex-prefeito João Paulo e ele já afirma que é desejo do PT que ele seja o escolhido. “No âmbito nacional, tem um clima da direção do partido de querer que eu seja candidato aqui em Recife. Em tese, há uma unanimidade no nacional para que eu seja candidato. Eu diria que até internamente aqui no Recife tem um clima extremamente favorável. Eu diria não só de dentro do partido, mas também por todas aquelas pessoas que viveram um pouco os meus anos de gestão”. Mas não é isso que afirma o diretório do Partido dos Trabalhadores.

“Não podemos dizer que há uma candidatura definida. Estamos na fase de discutir com as regionais do partido e nos setores o projeto de governo. O nome de João Paulo é sempre citado dentro e fora do partido. Mas ninguém dentro do partido pode dizer que João Paulo é candidato”, afirmou o presidente do PT-PE, Bruno Ribeiro.

O cientista politico Flávio Lúcio conversou com a Revista NORDESTE e comentou que a disputa entre prefeito e ex-prefeito deve ser mais do que uma eleição entre duas legendas, mas o que deve pesar será o espólio administrativo de cada um. O que cada um vez durante os seus mandatos é que irá contar na escolha do eleitor.
Outro nome cotado para as eleições, e que pode surpreender, é do deputado federal Daniel Coelho. Ele já foi candidato em 2012 e ficou em segundo lugar com 27% dos votos. O parlamentar garante que tem “o apoio das três instâncias do partido para a candidatura no Recife”. Mas isso pode não ser verdade. Duas grandes lideranças do PSDB gostariam de assegurar o apoio à reeleição de Geraldo Júlio em Recife, são eles o senador Aécio Neves e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Os dois tucanos tem pretensões de concorrer à presidência da República em 2018 e gostariam de atrair o PSB para o seu projeto político.

Em entrevista recente a Folha de Pernambuco, o vereador tucano André Régis, afirmou que candidatura da Coelho é irreversível. “O PSDB precisa se descolar rápido do PSB, pensando num projeto político-partidário com candidaturas a prefeito em 2016 e a governador em 2018″, disse o parlamentar.

Correndo por fora, o deputado estadual Edilson Silva (PSOL) pode conseguir o apoio do Rede Sustentabilidade, partido de Marina Silva que conseguiu expressiva votação em Recife quando concorreu pela presidência em 2014. Silva é um dos que mais criticam a gestão de Júlio na Assembleia Legislativa.

Pesquisa de Intenção de voto
Paraná Pesquisa, dezembro

Geraldo Júlio (PSB) 31,4%
Jarbas Vasconcelos (PMDB) 24,3%*
João Paulo (PT) 21,3%
Edilson Silva (PSOL) 3,3%

* Jarbas afirmou que não irá concorrer às eleições. 

Notícias relacionadas