menu

Alagoas

15/02/2016


Em 10 dias, 24 banhistas são atacados por piranhas

Uma nova – e inusitada – preocupação tem chegado aos municípios ribeirinhos com a baixa da vazão do Rio São Francisco. Em apenas dez dias, no período de 1º a 10 de fevereiro, 24 banhistas foram atacados por piranhas na chamada Praia do Cristo, na cidade de Pão de Açúcar.

A maior parte das vítimas foi atacada na região dos pés e um policial militar chegou a ter parte do dedo decepada após o ataque dos peixes, que são do tipo pirambeba, uma espécie de piranha branca. Eles podem chegar a dois quilos e tem a mordida menos potente que a piranha preta.

Os banhistas têm sido atendidos na Unidade Mista Dr. Djalma Gonçalves dos Anjos, em Pão de Açúcar, com sangramento intenso. Segundo o prefeito do município, Jorge Dantas, apenas ontem foram mais cinco ataques. Ele destacou que placas estão sendo afixadas às margens do rio para avisar as pessoas quanto ao perigo.

"Isso se acelerou nos últimos dias. Só ontem foram cinco ataques e hoje as placas vão ser afixadas para que as pessoas fiquem cientes. Já conversei também com o secretário de Recursos Hídricos, que prometeu mobilizar Ibama, IMA e todos os órgãos que têm a ver com essa questão".

Jorge Dantas acredita que os casos estão ligados à atual vazão do rio. "Não tenho dúvidas de que isso decorre do desequilíbrio ambiental causado pela baixa vazão do Rio São Francisco. Foram diminuindo os locais onde esses animais podiam se manter protegidos e eles começaram a buscar outros lugares, como a Praia do Cristo".

O prefeito de Pão de Açúcar destaca que a ocorrência não é comum na região e que não tinha conhecimento de algo do tipo ter acontecido nos últimos 50 anos. Ele classifica a situação como "quase calamitosa", já que os peixes continuam perto das margens mesmo com a água limpa – eles se alimentam de sujeira e sedimentos.

"Nada impede que o mesmo aconteça com outros tipos de piranhas e também em outras localidades. Já é bom que outros prefeitos da região ribeirinha tanto de Alagoas quanto de Sergipe comecem a tomar as providências, porque o caso está se agravando. Isso nos preocupa muito".

Jorge Dantas diz que a maior preocupação é com as pessoas que costumam nadar no meio do rio. "Nossa preocupação é que pegue um desavisado que esteja tomando banho no meio do rio e tenha dificuldade de se evadir. Todos nós sabemos que a piranha é um peixe de cardume e é atraída pelo sangue, podendo causar algum óbito", afirma.

De acordo com ele, comerciantes e restaurantes às margens da Praia do Cristo estão sendo conscientizadas para informar os banhistas. O prefeito disse que também vai entrar em contato com a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) para que ela monitore os efeitos ambientais da baixa vazão do São Francisco.

Notícias relacionadas