menu

Brasil

13/01/2020


Em Boa Viagem, Fundaj faz visita protocolar à Sudene e tem como meta ampliar parcerias em 2020

 

Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) e Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) estão em sinergia na realização de ações para o desenvolvimento regional. Nesta segunda-feira (13), em visita protocolar a sede da Sudene, no bairro de Boa Viagem, o presidente da Fundação Joaquim Nabuco, Antônio Campos, começou alinhamento para ações em comum com o órgão.

“As duas instituições serão braços do Governo Federal brasileiro na região. Dessa forma, irão levar mais desenvolvimento e diminuir a desigualdade regional e social. Também, serão órgãos consultivos da Presidência da República e dos seus ministérios vinculados. Para mostrar assim, que o Nordeste do Brasil é solução e também está no núcleo das preocupações do Governo”, afirmou o presidente da Fundaj, Antônio Campos.

Na reunião, além de receber o presidente da Fundaj, o superintendente da Sudene, Douglas Cintra, contou com a presença dos diretores da Fundação: Mário Hélio (Dimeca), Wagner Maciel (Difor) e Carlos Osório (Dipes). Durante a conversa, foi enfatizado o simbolismo do ano que se inicia para as ações que serão tomadas. Período este, que se comemora o centenário de Celso Furtado e 60 anos da Sudene. Dessa forma, se começou um alinhamento para estabelecer uma agenda em conjunto.

“Do ponto de vista cultural já tivemos, de forma simbólica, a publicação de um livro sobre os 60 anos da Sudene e sobre o economista Celso Furtado, que está disponível na Editora Massangana. Mas, faremos ainda, várias parcerias em cursos de especialização e em pesquisas, mostrando assim, em diversos aspectos, que as duas instituições podem trabalhar juntas, fazendo mais para o Nordeste”, afirmou Campos.

Na ocasião, também se conversou sobre o Novo Plano para a Sudene, Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste, que está no Congresso Nacional para discussão e votação.

“Nesse aspecto, vamos propor e ouvir sugestões para a fundaj e criar assim interfaces”, afirmou Antônio Campos. P

fim, a Sudene também foi convidada à participar de um seminário sobre as sinergias econômicas e culturais, entre a China e o Nordeste, o qual acontecerá, a princípio, no dia 30 de março, na Fundaj.

Notícias relacionadas