menu

Brasil

27/08/2014


Em debate, Aécio insinua que candidatura de Marina é um “projeto improvisado”

O candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB) classificou a candidatura da concorrente Marina Silva, representante do PSB, como um "projeto improvisado". A declaração foi dada nesta terça-feira momentos antes do debate presidencial da TV Bandeirantes. O tucano minimizou ainda a nova pesquisa Ibope, divulgada hoje, que o coloca com 19% das intenções de voto, em terceiro lugar na corrida.

Aécio entrou nos estúdios da emissora escoltado pelo seu vice Aloysio Nunes, que não desgrudou do ouvido do candidato, que, simpático fez questão de cumprimentar a imprensa. "O Ibope é uma pesquisa que vem depois de uma comoção que tomou conta do Brasil, [a morte de Eduardo Campos]. Tenho absoluta confiança na nossa proposta, que foi amplamente debatida pelo País, não é projeto improvisado."

Questionada sobre o cenário positivo de sua campanha, com 29% das intenções de voto no primeiro turno e dez pontos à frente do tucano, Marina foi cautelosa ao dizer que seria apenas um "retrato do momento". Ela afirmou que pediu calma para a sua equipe de campanha com os resultados positivos e argumentou ainda que os trabalhos só estão começando.

O vice-presidente Michel Temer, atual vice na chapa de Dilma Rousseff, também demonstrou tranquilidade com os números do Ibope. A recente pesquisa apontou que a petista perderia para Marina no segundo turno, com 45% ante 36% de Dilma. "Temos 40 dias pela frente. Não há preocupação", explicou Temer.

O coordenador da campanha de Dilma à reeleição, Luiz Marinho, também disse que o desempenho positivo de Marina ainda é influenciado pela morte de Eduardo Campos (PSB). "[O desempenho de] Marina ainda não decantou o morto, a tragédia, o corpo quente do defunto", disse Marinho antes do início do debate presidencial da TV Bandeirantes. "A Marina tem consistência, mas é cedo para qualquer decisão."

Marinho chegou a comparar Marina com candidatos como Roseana Sarney e Ciro Gomes, candidatos à presidência que apresentavam bons resultados no início da campanha, mas não chegaram ao segundo turno.

O coordenador alfinetou o candidato do PSDB, Aécio Neves, que aparece em terceiro na pesquisa, com 19% das intenções de votos, dez pontos atrás de Marina e 15 de Dilma. "O Aécio, se não se cuidar, ela (Marina) se consolida no segundo lugar. Neste momento a disputa é entre Aécio e Marina."

Pesquisa anterior

Na pesquisa anterior, divulgada pelo Ibope em 7 de agosto, a presidente Dilma tinha 38% das intenções de voto e Aécio aparecia em segundo lugar, com 23%. Já Eduardo Campos, na ocasião, candidato do PSB à presidência tinha 8%. Campos morreu em um acidente aéreo no cidade de Santos no último dia 13.

Entre os nanicos, o pastor Everaldo (PSC) aparece em quarto lugar com 1% dos votos, assim como Luciana Genro (PSOL). Os outros candidatos não chegaram a 1%.

Marina Silva tirou votos de todos os candidatos ao entrar na disputa. Dilma e Aécio perderam quatro pontos cada. Até os índices de brancos, nulos e indecisos caíram. Na pesquisa anterior, votos brancos e nulos somavam 13% e agora chegam a 7%. Eleitores indecisos atigiam 11% dos entrevistados e agora esse índice chega a 8%.

Rejeição

A ex-senadora é também a que tem menor índice de rejeição entre os três primeiros colocados, segundo o Ibope. Apenas 10% dizem que não votariam na candidata, contra 36% que rejeitam Dilma e 18%, Aécio. Pastor Everaldo tem 14% de rejeição e Zé Maria (PSTU) tem 11%.

A avaliação ao governo da atual presidente Dilma Rousseff teve pequena variação positiva. Para 34% dos eleitores, a gestão dela é boa ou ótima. Na avaliação anterior, esse índice era de 32%. Entre os que desaprovam, o índice de ruim ou péssimo passou de 31% para 29% neste levamento.

Encomendanda pela Rede Globo e pelo jornal Estado de São Paulo, o pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre os dias 23 e 25 de agosto.

 

(Do iG)

Notícias relacionadas