menu

Brasil

04/06/2014


Envolvidos na Operação Lava Jato vão depor na CPI da Petrobras

Comissões

Na terceira sessão da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, os deputados e senadores aprovaram a convocação do doleiro Alberto Youssef, do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, da presidenta da estatal, Graça Foster, e do ex-presidente José Sérgio Gabrielli e do ex-diretor Nestor Cerveró. As convocações fazem parte de um grupo de 233 requerimentos aprovados ontem pela comissão.

O relator da CPMI, deputado Marco Maia (PT-RS), sugeriu que Costa, preso na Operação Lava Jato, mas solto por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF), seja o primeiro a depor. O depoimento do ex-diretor já foi marcado para a próxima terça-feira, pela CPI exclusiva do Senado.

Além das convocações, a CPMI aprovou requerimento para ter acesso à cópia das quebras de sigilos bancário, fiscal e telefônico feitas pela Polícia Federal na Operação Lava Jato.

Presidente das duas CPIs o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) afirmou ontem que as duas comissões continuarão a funcionar ao mesmo tempo. A CPI exclusiva do Senado é 100% governista. A mista, com deputados e senadores, tem integrantes da oposição e dissidentes da base aliada.

Ele disse que a proposta de fusão das CPIs teria de partir do plenário da CPI do Senado e isso não está em discussão. “Quem está propondo fundir as duas CPIs é o pessoal da comissão mista”, disse Vital. Marco Maia sustenta que as duas CPIs poderão ser fundidas.

No Senado, em uma sessão esvaziada, a CPI da Petrobras ouviu ontem o depoimento de dois ex-dirigentes da estatal — o ex-gerente Executivo Internacional da empresa Luis Carlos Moreira da Silva e o ex-gerente de Segurança Empresarial da estatal, Pedro Aramis de Lima Arruda.

(do iG)

Notícias relacionadas