menu

Paraíba

27/03/2015


Escolas particulares da PB param; professores pedem reajuste de 13%

Mais de 100 mil alunos das cerca de 500 escolas e 17 universidades particulares da Paraíba ficarão sem aulas hoje, face paralisação dos mais de 18 mil trabalhadores do setor, que realizam Assembléia Geral às 14h para aprovar pauta de reivindicações que pede reajuste de 13%, a partir de 1º de maio. Uma mesa redonda entre as partes já está marcada para o dia 1º de abril. O patronato ainda não tem contra proposta de reajuste salarial. A paralisação de um dia é garantida na Convenção Coletiva da categoria.


O coordenador geral do Sinteenp-PB (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino da Rede Privada da Paraíba), Avenzoar Arruda, informou que a Assembléia será às 14h, no auditório do Sesi, no Centro de João Pessoa. Ele explicou que “o percentual de 13% que solicitamos não tem relação direta com os índices, inflacionários, perdas e outros itens, mas, sim, com o que determina a Portaria do Ministério da Educação no tocante à variação do custo-aluno, entre os anos de 2013 e 2014”.


Sobre as perspectivas das negociações, Avenzoar disse que “não serão fáceis, porque com o tempo o sistema de ensino particular passou a ser muito desigual. De um lado pequenas e médias empresas que predominam no Ensino Médio. No outro, as grandes, onde estão as faculdades particulares que, em vários casos, também atuam no Ensino Médio e têm rendimentos e lucros muito acima dos pequenos”.

 

WSCOM com Portal Correio

Notícias relacionadas