menu

Brasil

18/10/2013


Estado duplica quantidade de áreas protegidas e recebe reconhecimento da Unesco

ALAGOAS

A preservação e a recuperação de áreas é um dos destaques no desenvolvimento de Alagoas. Entre 2007 e 2012 o estado cresceu 100% em quantidade de áreas protegidas e pode ultrapassar a média nacional. Os números foram apresentados nesta quinta-feira (17), em São Luis do Quitunde, durante evento organizado pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA). Na ocasião, o governador Teotonio Vilela recebeu uma Menção Honrosa do Conselho Nacional de Reservas da Biosfera, da Unesco, pelo destaque nacional do estado que tem a maior quantidade de Postos Avançados e Núcleos dentro do Programa.

“Minha presença no Norte e nesta solenidade faz parte do Governo Perto de Você, que hoje encerra suas atividades, após duas semanas de trabalho nessa região. Estou orgulhoso dessa Menção Honrosa e de todo o avanço e números que resultam do importante trabalho desse governo na área de meio ambiente, por meio do IMA e da Semarh (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos). Mas queremos mais, queremos continuar crescendo em número de proteção de áreas”, reforçou Teotonio Vilela.

Segundo o diretor-presidente do IMA, Adriano Augusto, entre os anos de 2007 e 2013 o estado passou de 24 para 48 Unidades de Conservação. De acordo com ele, o aumento de 100% acontece, principalmente, porque houve mudanças e investimentos em setores essenciais como a informatização interna para atendimento dos mais de 600 processos protocolados por mês, a criação de um setor específico para tratar da educação ambiental e a ação importante e organizada da Diretoria de Unidades de Conservação.

O diretor de Unidades de Conservação do IMA, Alex Nazário, explica que são 229.743,1 hectares que englobam áreas pertencentes a 40 municípios e ocupam 8,3% do Estado. São 31 Unidades estaduais, 13 federais e quatro municipais. Sendo que, entre as pertencentes ao estado, na atual gestão foram criadas 23 Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN) e um Refúgio da Vida Silvestre dos Morros do Craunã e do Padre – a primeira estadual criada no bioma Caatinga.

Segundo ele, está em vias de consolidação uma Área de Proteção Ambiental, com 80.000ha, uma Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE), com 1.700ha, um Parque Estadual, com 5.500ha, e cinco RPPN, com 1.855,12ha, além de mais 17 RPPN em fase de estudo e organização de documentos.

“Quem meditar sobre algum dado que trata de meio ambiente verá que não há nada que exclua o desenvolvimento. Todos os números mostram uma resposta clara sobre a possibilidade de se caminhar junto”, disse José Thomaz Nonô, vice-governador e presidente do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Cepram). “Estamos conseguindo avançar com a recuperação de matas, mesmo com a moagem da cana”.

Isso porque, segundo dados do IMA, entre 2009 e 2012 foram recuperados 718,26ha de matas ciliares ou 25,2% do previsto no Termo de Ajustamento de Conduta firmado com o setor sucroalcooleiro, para replantio de 2.860,16ha em 10 anos.

Além disso, o Estado de Alagoas possui a maior quantidade de Postos Avançados e Núcleos da Reserva da Biosfera, 15 no total – os outros 15 Estados somam 41 Postos ou Núcleos. O que mais chama a atenção é a quantidade de ações e resultados, a exemplo das áreas protegidas que passam de 41% em relação a média nacional. “Essa Menção Honrosa é entregue pelo Conselho Nacional da Reserva da Biosfera ao governo de Alagoas principalmente por causa do destaque no território nacional”, comentou Clayton Lino representante do Programa.

As Reservas da Biosfera foram criadas pela Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – em 1972. “A Mata Atlântica é a que mais possui representação, já que está presente hoje em 112 países, com mais de 620 unidades e 78milhões de hectares”, explicou Clayton Lino. As Reservas têm sua sustentação no programa "O Homem e a Biosfera" (MAB) da Unesco, desenvolvido com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), no Brasil através do Ministério do Meio Ambiente.

O evento aconteceu no Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Usina Santo Antônio, em São Luis do Quitunde. Além das equipes do IMA e da Semarh, estiveram presentes representantes de prefeituras da região Norte, do Ministério Público Estadual, Batalhão de Polícia Ambiental e empresários da região.

Assessoria

Notícias relacionadas