menu

29/06/2019


Ex-ministra reage e tipifica perseguição de Dallagnol: “querem atingir Wagner por sua qualificada liderança”

Por Walter Santos

A ex-ministra da Secretaria Executiva da Presidência da República no Governo Dilma Rousseff, Eva Maria, também Secretária da Casa Civil do Governo Jaques Wagner, revelou neste domingo opinião sobre envolvimento de procurador da República, Dallagnol, em manobra no 2º turno de 2018 como fruto de uma articulação para atingir o atual senador pela sua competência.

– Minha profunda solidariedade ao Sen. Jaques Wagner, companheiro de anos de trabalho na gestão pública. A indignação é grande perante a perseguição evidente que ele vem sofrendo e que foi confirmada com mais essa publicação dos arquivos do Intercept. Armaram uma busca e apreensão quando compunha a coordenação de campanha de Fernando Haddad, as vésperas do segundo turno em 2018, disse ela para acrescentar:

– Quem conhece e convive, sabe o quanto Jaques Wagner é sério no trato com a coisa pública. Como ele próprio já afirmou que, “Eles judicializaram a política e politizaram a justiça”.

Eva Maria adicionou: “ Hoje, com as revelações veiculados pela jornalista Monica Bergamo tivemos a comprovação dessa perseguição político-judiciária deflagrada no pais. O que pretendiam e pretendem é atingi-lo, em função da sua qualificada liderança política”.

E concluiu: “Tenho certo que sua história já escrita como ministro de Lula e Dilma, governador da Bahia e a história recente que está construindo como senador, lhe fará justiça, como também ao Presidente Lula”.

Notícias relacionadas