menu

Brasil

20/03/2016


Ex-ministro Ciro Gomes vê “sindicato de ladrões” no impeachment

 O ex-ministro do governo Lula e presidenciável pelo PDT, Ciro Gomes, voltou a classificar como golpe o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Ciro chamou de "sindicato de ladrões" os líderes do PSDB e PMDB que estão se alinhando para garantir a aprovação do processo na Câmara.

 

"O sindicato de ladrões agora é uma coalizão PMDB/PSDB, acertada em jantares em Brasília. Com detalhes de como vão repartir o governo, como o Michel Temer tem que assumir anunciando que não é candidato à reeleição. Como vão desarmar a bomba da Lava Jato, porque começou a sair do controle. Porque os políticos começaram a ver que pode sobrar para o lado deles. Isso é o que tá apalavrado, num jantar em Brasília, pelos cleptocratas do Brasil", disparou, em entrevista ao jornal O Dia.

 

Ciro disse ainda que foi um erro a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro da Casa Civil. "Ainda que não seja, parecerá que o Lula estava querendo fugir de um juiz 'severo' (entre aspas, frisa Ciro) para presumindo impunidade se abrigar na jurisdição do Supremo. Tudo isso foi agravado pelas gravações divulgadas. E o Supremo tem se comportado muito bem, salvo um ou outro ministro. Não vamos esquecer que o Tribunal prendeu a cúpula do PT inteira", afirmou.

 

Ciro Gomes criticou ainda a estratégia da oposição em abandonar o processo de cassação da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "Se o TSE cassar a chapa, tem eleições gerais. E aí vem alguém. Acho que eles estavam com medo da Marina. Por isso, resolveram restaurar a tese do impeachment. Não estão vendo que é um golpe no país?", afirmou.

Notícias relacionadas