menu

Paraíba

27/07/2015


Ex-tesoureiro acusa Vital de receber recursos desviados; Ministro nega

O ex-tesoureiro da Prefeitura de Campina Grande (PB) Rennan Farias afirma que, em 2010, entregou dinheiro em espécie ao então candidato ao Senado Vital do Rêgo (PMDB-PB), hoje ministro do TCU (Tribunal de Contas da União). Segundo declaração feita para o TV Folha, ele diz que a verba foi desviada de um contrato de R$ 10,3 milhões da prefeitura com uma empreiteira que não executou os serviços.

O Ministro distribuiu Nota à Imprensa negando qualquer envolvimento com o acusado ou a acusação explicando que o assunto já foi tratado em ação judicial em que Farias foi interpelado e não apresentou provas.

Segundo o ex-tesoureiro, "[eu] deixava lá o pacote, ou a caixa, ou a sacola, a caixa de uísque [com o dinheiro desviado], depois ele [Vital do Rêgo] fazia toda a repartição e resolvia seus problemas de campanha”, diz.

Conforme a Folha, além dos desvios da prefeitura, ele afirma ter levantado cerca de R$ 10 milhões junto a agiotas para as campanhas dos Vital do Rêgo.

O jornal paulista "diz ainda ter feito entregas também ao irmão do ministro, o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB), e a firmas que atuavam nas campanhas da família. Os dois negam as acusações".

No TCU, Vital será um dos nove ministros a analisar as contas de 2014 da presidente Dilma Rousseff. Se rejeitadas, elas podem abrir caminho para um processo de impeachment no Congresso.

WSCOM – Folha de São Paulo

Notícias relacionadas