menu

Sergipe

20/07/2015


Faltam lixeiras e educação nas ruas de Aracaju

O lamentável hábito de jogar lixo nas ruas pode ser constatado em vários cantos da cidade. São papéis de bala, copos descartáveis, latas de refrigerante e outros objetos que sujam as ruas de Aracaju. Mais que isso: revela uma face não muito educada. Muitas pessoas até tentam justificar alegando que não há lixeira suficiente na cidade. E não há. Mas não justifica o ato de jogar lixo nas ruas. “Essa falta de educação faz com que sejam coletados 13 mil toneladas mês de lixo só na capital. Dinheiro que poderia estar sendo aplicado na Educação e na Saúde”, atesta o secretário municipal do Meio Ambiente, Eduardo Matos. Segundo ele, há em Aracaju 1.500 pontos de descartes na capital sergipana, todos irregulares.

Segundo o secretário, infelizmente, lixo na rua é um problema não só de Sergipe. “Em uma reunião realizada com os secretários municipais do meio ambiente, ficou constatado que esse problema atinge todo o Brasil. Em Aracaju, por exemplo, são 1.500 pontos de descartes irregulares. É um número absurdo”, diz Eduardo Matos. Ainda de acordo com Eduardo Matos, o problema de lixo na rua, na capital sergipana, é maior nos bairros mais nobres.

“Temos muitos problemas na 13 de Julho, Jardins, São José, Salgado Filho, Atalaia”, afirma Eduardo Matos. Em Sergipe, não há uma lei especifica para punir quem suja as ruas como em São Paulo, mas o secretário municipal do Meio Ambiente garante que há como enquadrar, sim, os mal-educados. “Podemos enquadrar no Código Ambiental de Aracaju ou no Código de Urbanismo. A pena vai depender do volume e tipo de resíduo sólido”, esclarece Eduardo Matos. O secretário lembra que uma das consequências de jogar lixo nas ruas é a proliferação de doenças, inclusive da dengue. “Estamos, inclusive, fazendo um trabalho de conscientização nas escolas públicas da rede municipal de ensino”, diz.

 

População  

Nas ruas de Aracaju, a população cobra mais lixeiras. Pessoas educadas garantem que não jogam lixo nas ruas em hipótese alguma como é o caso da psicóloga Tatiana Nery. “Se não tem lixeira na rua, eu coloco o papel da bala, por exemplo, no bolso da minha calça ou na minha bolsa para depois descartar no local apropriado”, garantiu.

O adolescente Rodrigo Silva diz que aprendeu desde cedo que rua não é local para jogar lixo. “Minha mãe sempre me ensinou que lugar de lixo é na lixeira. Então, sempre procuro uma lixeira para descartar o lixo”, garante o garoto que acabou de completar 15 anos de idade e tem consciência das consequências que esse lamentável hábito é capaz de fazer.

Consciente do papel de cidadã, a professora aposentada Maria das Graças Dias explica a importância da boa educação para o meio ambiente e o bem estar da população. “O lixo jogado na rua contribui para a degradação do meio ambiente e também para enchentes, já que o resíduo sólido vai direto para o bueiro e acaba entupindo e gerando uma série de consequências como os alagamentos”, ensina.

Sobre a falta de lixeiras nos pontos de ônibus da capital, a Empresa Municipal de Serviços Urbanos, por meio da Gerência de Limpeza Urbana (Emsurb/ Gerlu) informou que neste caso é de responsabilidade da Superintendência Municipal de Transportes de Trânsito (SMTT). “Nos pontos de ônibus somos responsáveis apenas pela limpeza”, garante Shislane Vitória, da assessoria de comunicação da Emsurb.

 

Novas lixeiras

Na última quinta-feira, 2, a Empresa Municipal de Serviços Urbanos, por meio da Gerência de Limpeza Urbana (Emsurb/ Gerlu), implantou 26 novas lixeiras na Praça Olímpio Campos. A ação garante a conservação do espaço, pois a área recebe diariamente um grande fluxo de pessoas e atividades comerciais.

‘‘Nós aumentamos a quantidade de lixeiras na praça para melhorar a qualidade de vida de quem a frequenta. Com uma maior quantidade, as pessoas não terão desculpas para jogar lixos no chão’’, afirmou o gerente de Limpeza Urbana, Roberto Gomes.

Para o comerciante José Roberto, a implantação de novas lixeiras na praça foi importante e ajudará a manter a cidade .. ‘‘Achei muito boa essa iniciativa, o povo joga muita coisa no chão e com a colocação dessas novas lixeiras é uma forma de incentivar a população a jogar o lixo no lugar correto. Agora está bem melhor, a Prefeitura está de parabéns’’, disse José. 
 

Andréa Vaz
Jornal da Cidade

Notícias relacionadas