menu

Brasil

29/10/2018


Fátima Bezerra é eleita governadora do Rio Grande do Norte

A senadora Fátima Bezerra (PT), 63, é a nova governadora do Rio Grande do Norte. Eleita com 1.022.910 votos, 57,6% válidos, a petista é a única governadora mulher do Brasil e a terceira a assumir o estado potiguar. O candidato do PDT, Carlos Eduardo, recebeu 735.035 votos, representando 42,40%. “A minha eleição atende um sentimento popular no Rio Grande do Norte, que eu vi há alguns anos”, declarou a petista após a vitória.

A vitória de Fátima foi confirmada matematicamente eleita  às 18h40 pelo Tribunal Regional Eleitoral. A apuração total das urnas se encerrou às 20h. Ao todo, 1.942.196 eleitores foram às urnas neste segundo turno, significando 81,86% do total do eleitorado do estado. A abstenção foi de 18,14% – 430.383 eleitores. Dos votos deste domingo, 34.072 (1,75%) foram brancos e 132.179 (6,81%) foram nulos.

Fátima Bezerra nasceu em Nova Palmeira (PB), em 19 de maio de 1955. É pedagoga formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e iniciou a vida política como deputada estadual em 1995. Permaneceu parlamentar estadual até o final de 2002, quando foi eleita deputada federal. Exerceu o mandato até 2015, quando assumiu a cadeira de senadora.

Com esta eleição, Fátima é a única mulher entre os 27 governadores eleitos neste ano no país. Com a posse, em primeiro de janeiro, será também a primeira vez que uma filiada ao Partido dos Trabalhadores exerce o governo do Estado. Em coletiva de imprensa na noite deste domingo, ela considerou a vitória histórica para o Estado. Segundo a petista, a vitória “significa a primeira eleição da história do Rio Grande do Norte de uma candidata de origem popular, uma candidata que tem uma história de muitas dificuldades”. “Interrompemos um ciclo de eleições de oligarquias no Rio Grande do Norte”, declarou.

A candidatura também significou que o Rio Grande do Norte se torna o estado brasileiro com mais governadoras mulheres na história. Fátima se junta a Wilma de Faria (2002-2010) e a Rosalba Ciarlini (2010-2014). O feito foi lembrado durante o  pronunciamento da petista, que também citou a escritora Nísia Floresta, pioneira do movimento feminista no Brasil, e que o estado foi o primeiro do país a ter um voto feminino, em 25 de novembro de 1927. “Eu quero dizer da minha alegria de ser a única governadora eleita porque a minha eleição ocorre na terra de Nísia Floresta, na terra onde uma mulher votou pela primeira vez”.

Ao lado de correligionários e de apoiadores de outros partidos, Fátima afirmou que a sua eleição foi resultado da “esperança e luta” e de aliança pluripartidária no segundo turno. A candidata eleita falou ao lado do deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira (PSDB) e de nomes como Carlos Alberto e Robério Paulino, ambos do PSOL.

“Quero agradecer o apoio de cada um que acreditou que nós podemos fazer o melhor para o Rio Grande do Norte”, continuou. “Os apoios vieram de forma transparente, pela porta da frente, porque eles entenderam que o melhor para o estado nesse momento era a eleição da senadora Fátima Bezerra”.

Por fim, lamentou a derrota do candidato Fernando Haddad para presidente do Brasil e repetiu a declaração de que está preparada para governar em qualquer cenário, dada em sabatinas durante a campanha. “Tem que se respeitar a vontade do povo do Rio Grande do Norte. Somos um povo soberano e isso tem que ser respeitado, assim como respeito a eleição de Bolsonaro”, afirmou. ”Mas em todas as instâncias, todos os lugares, defenderei com muita coragem, muita sabedoria e segurança os interesses legítimos do povo do Rio Grande do Norte”.

Questionada sobre as primeiras medidas do mandato, Fátima afirmou que precisa primeiro organizar o período de transição entre uma gestão e  outra. “Eu não posso adiantar nada porque eu preciso primeiro sentar e planejar o período de transição, que é muito importante”, afirmou, acrescentando que ainda não há nenhum nome acertado para a equipe de secretários.

Fátima ainda ressaltou que a prioridade no governo será de equilibrar as contas públicas para voltar a investir na segurança e na saúde pública, áreas mais carentes atualmente no Rio Grande do Norte.
Votos válidos para governador do Rio Grande do Norte
 
Fátima Bezerra
57,6%
1.022.910 votos
Carlos Eduardo
42,4%
753.035 votos
Apurado: 2.372.579

Comparecimento: 1.942.196 (81,86%)

Abstenção: 430.383

Votos registrados: 1.942.196

Brancos: 34.0072 (1,75%)

Nulos: 132.179 (6,81%)

Votos válidos: 1.773.652 (91,44%)

Notícias relacionadas