menu

Brasil

20/08/2014


Federações do Nordeste discutem planejamento estratégico para região

Presidentes e representantes de Federações de agricultura e pecuária do Nordeste reuniram-se nesta terça-feira para debater ações de planejamento estratégico de médio e longo prazos para a região. O objetivo é indicar medidas que garantam o crescimento sustentável da agropecuária local. A reunião foi realizada na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília.

O presidente da CNA, João Martins da Silva Júnior, acompanhou parte dos debates. Ele preside a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (FAEB). O vice-presidente diretor da CNA, José Ramos Torres de Melo Filho, defendeu a iniciativa. “Planejar é pensar no futuro, organizar as ações que precisam ser implementadas para que o futuro almejado seja alcançado”, afirmou.

Antes de propor as ações, o grupo discutiu os problemas identificados por cada federação. A seca é um deles e ela precisa ser “administrada”, afirmou o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC), Flávio Saboya. Ele defendeu medidas para solucionar a questão do endividamento, assim como a ampliação das políticas oficiais direcionadas para os produtores rurais da região, em especial o “seguro seca” voltado para o Semiárido nordestino.

Entre as propostas apresentadas pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (FAERN), José Álvares Vieira, está a participação mais efetiva de representantes do Sistema CNA em conselhos representativos, tais como a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

Integração da rede de armazenagem, ampliação das políticas de apoio à comercialização e a necessidade de melhoria dos sistemas estaduais de defesa sanitária foram temas sugeridos. A região tem o maior rebanho de ovinos e caprinos do mundo livre para exportação para importantes países consumidores, como Estados Unidos e União Europeia. Esta condição sanitária precisa ser mantida e ampliada, ressaltaram os participantes. Representantes das federações estaduais de agricultura e pecuária da Paraíba (FAEPA) e de Alagoas (FAEAL) participaram da reunião.

 

(Com Assessoria)
 

Notícias relacionadas