menu

Política

18/10/2017


FHC diz ser inaceitável volta da escravidão na era Temer

A trágica portaria publicada nesta semana pelo Diário Oficial que praticamente legaliza o trabalho escravo no Brasil, considerada um retrocesso por diversas entidades do setor e até pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), recebeu uma crítica pesada do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que apoiou o golpe que levou Michel Temer ao poder.

“Considero um retrocesso inaceitável a portaria do Ministério do Trabalho que limita a caracterização do trabalho escravo à existência de cárcere privado. Com isso, se desfiguram os avanços democráticos que haviam sido conseguidos desde 1995, quando uma comissão do próprio Ministério, ouvindo as vozes e ações da sociedade, se pôs a fiscalizar ativamente as situações de superexploração da força de trabalho equivalentes à escravidão”, publicou FHC em sua página no Facebook.

“Em um país como o nosso, no qual a escravidão marcou tanto a cultura, é inaceitável dificultar a fiscalização de tais práticas. Espero que o Presidente da República reveja esta decisão desastrada”, acrescentou o ex-presidente tucano, fazendo um apelo a Temer. “Espero que o Presidente da República reveja esta decisão desastrada”.

Em um gesto de fisiologismo que ultrapassa os limites dos direitos humanos, Temer decidiu liberar o trabalho escravo nas fazendas para comprar votos da bancada ruralista na Câmara e se salvar da segunda acusação da Procuradoria Geral da República contra ele, por corrupção, obstrução judicial e comando de organização criminosa.

Brasil 247

 

Notícias relacionadas