menu

Brasil

19/02/2014


Fifa usa Berlim como exemplo da necessidade de agilizar obras temporárias

Copa do mundo

Os atrasos dos estádios da Copa 2014 já foram tolerados pela Fifa. Todas as 12 sedes estarão na Copa apesar de todos os alertas. Por conta disso, um ponto especial da preparação da Copa passou a ser a principal preocupação da entidade devido ao pouco tempo que as novas arenas terão para serem testadas: as estruturas provisórias para o Mundial.

Na terça-feira a Fifa e o COL (Comitê Local da Copa) apresentaram duas imagens do Estádio Olímpico de Berlim para exemplificar a importância de se ter condições de construir e preparar um estádio para um evento como a Copa. Numa foto, o estádio de Berlim numa data normal. Na outra, o estádio alemão no dia da final da Copa do Mundo de 2006.

“Esta é a diferença. Não podemos perder tempo. As estruturas temporárias são importantíssimas e cada estádio, cada cidade, tem sua especificidade. É assim que a FIFA faz com estruturas complementares. A Fifa e o Comitê apenas esperam pelo acordado na Matriz de Responsabilidades”, comentou Ricardo Trade, diretor-executivo do COL. Esta preparação do entorno dos estádios é uma das muitas preocupações que envolvem os estádios da Copa, principalmente os que não estão prontos.

O que a Fifa cobra é a conta dos contratos firmados pelas sedes e pelo governo federal quando o Brasil se tornou sede da Copa. Por isso, Valcke reluta em trazer para a Fifa qualquer conta que não tenha sido acordada em 2007, ano do anúncio.

“Não pagaremos. Tivemos compromissos claros e entre eles está que a Fifa não tem que cobrir (gastos com estruturas provisórias). Essa é uma parceria. Organizamos e apoiamos o país gastando em toda operação. Digo mais uma vez, não vamos pagar”, disse Valcke.

Entre as construções temporárias que mais preocupam a Fifa estão as Fan Fest, áreas de encontro de torcedores nas cidades sedes. A prefeitura de Recife já avisou que não fará nada. O gasto previsto seria de R$ 20 milhões ao longo de 27 dias. Este será um tema abordado ao longo desta semana em Florianópolis. A Fifa quer uma solução.

“O acordo com as cidades era entregar estádios e as fan fest. São obrigações da cidade. A Fan fest é parte da Copa. É uma coisa importante. Estamos abertos para conversar, fazer demonstrações. Mover de um lugar para outro, como em Brasília, por exemplo. Podemos discutir como vai ser, mas lembrem-se que este foi um compromisso assinado anos atrás”, disse Valcke.

(do site iG)

Notícias relacionadas