menu

Esporte

14/07/2016


Força do boxe baiano dá chance de medalha nas Olimpíadas do Rio

na revista nordeste

As Olímpiadas estão chegando e o Brasil já elegeu vários candidatos à medalhas de ouro. O estado da Bahia contribui com força para o boxe. Confira matéria da edição 114 da Revista NORDESTE.


Baianos bons de briga

Por Jhonattan Rodrigues

Famosa pelo axé, pelo carnaval e pela culinária, a Bahia também produziu alguns dos maiores boxeadores do Brasil. 

Os jogos olímpicos do Rio 2016 começam no dia 05 de agosto. Alguns esportistas já garantiram participação e agora se preparam arduamente; outros ainda estão correndo atrás de conseguir vaga. No boxe, cada país tem direito a 10 competidores no masculino e 3 no feminino. Enquanto diversos pugilistas brasileiros estão literalmente lutando para garantir suas vagas, quatro foram preenchidas com atletas baianos: Robenilson de Jesus, Robson Conceição, Joedison Teixeira e Adriana Araujo.

Mas o sucesso não é por acaso. Na Ladeira do Ypiranga, em Salvador, é onde se encontra o segredo do sucesso dos baianos lutadores. Comandada por Luiz Dórea, a Academia Champion se tornou referência nacional no treino de boxe. Três, dos quatro atletas baianos que foram classificados para participar das Olimpíadas, treinaram na academia. Apenas Joedison Teixeira, que cresceu em São Paulo, fica fora da lista.

A Champion foi fundada por Dórea há 25 anos e começou suas atividades de forma simples, montada no quintal de casa. Dórea, um pugilista prodigioso na juventude, interrompeu sua carreira após a morte de seu treinador, Gilberto Silveira. Aos poucos passou a treinar outros atletas e ajudou grandes nomes como Kelson Pinto e Acelino Freitas, o Popó, desde seus primeiros socos no boxe até a conquista de medalhas e cinturões.

Com o tempo, a academia diversificou e começou a treinar também atletas do MMA e por lá passaram campeões como Rodrigo Minotauro, Junior Cigano e Anderson Silva. Ao longo de todos esses anos a academia já formou 6 mil alunos e 22 atletas olímpicos.

Ainda restam vagas no boxe e talvez alguns mais discípulos do mestre baiano possam integrar o time. Com 51 anos, Dórea não dá sinais de que pretende parar nem tão cedo e provavelmente ainda veremos muitos de seus alunos trazendo títulos e medalhas para o país.

Conheça os atletas

Técnico Luiz Dória comanda a Academia Champion, referência nacional no treino de boxe. Três dos quatro atletas baiano classificados treinaram na Academia

Adriana Araújo

Idade: 34 anos
Categoria: Leve (60kg)

Nascida em Salvador, a pugilista venceu a marroquina Mahjouba Oubtil nas quartas de finais, garantindo uma medalha de bronze – a centésima medalha olímpica do Brasil. Foi também a segunda medalha olímpica nacional para o esporte em olimpíadas e a primeira na categoria feminina. Pelo feito, foi escolhida como uma das 10 primeiras a carregar a Tocha Olímpica do Rio 2016.

Robson Conceição

Idade: 27 anos
Categoria: Ligeiro (60kg)

O soteropolitano pretende fazer diferentedos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, quando foi derrotado na estreia. Robson garantiu uma vaga nos jogos de 2016 ao conseguir um bronze no mundial do Catar, em 2015. Conseguiu também uma prata no torneio anterior de 2013. Foi campeão na competição sul-americana e prata na categoria Leve no Pan do México, em 2011. 

Joedison Teixeira

Idade: 22 anos
Categoria: Meio Médio Ligeiro (64kg)

Joedison é nascido em Salvador, mas toda sua carreira, desde a infância, transcorreu em São Paulo. Entretanto, o boxe corre em suas veias, herança de família. Quando o pai, também pugilista, pensou em parar, o filho começou a treinar para incentivá-lo. Sem gostar muito no começo, a habilidade acabou falando mais alto e agora, com 22 anos, vai disputar sua primeira Olimpíada. 
Conhecido como “Chocolate”, apelido dado pelo treinador pela aparência no estilo de lutar com o atleta cubano Kid Chocolate, Joedison, apesar de jovem, já carrega um bronze nos Pan do Canadá, em 2015 e é tri-campeão brasileiro. 

Robenilson de Jesus

Idade: 28 anos
Categoria: Galo (56kg)

Robenilson chegou muito perto de conquistar uma medalha para o Brasil em Londres. Nasceu em Boa Vista do Tupim e sua experiência nos ringues lhe garantiu uma vaga para estas olimpíadas. Entre seus feitos se destacam um ouro no campeonato sul-americano de 2014 e um bronze nos jogos Pan-Americanos de 2011, no México.

 

Clique aqui e confira a Revista NORDESTE na íntegra

A revista está disponível para download para IOS e Andraoid, também gratuita

Google Play: https://goo.gl/2s38d3
IOS: https://goo.gl/WeP5eH

Notícias relacionadas