menu

Sergipe

10/12/2019


Fórum de Petróleo e Gás incentiva novos investimentos em SE

O Fórum tem o propósito de apoiar as ações das diversas organizações que atuam no setor, visando potencializar os seus resultados econômicos e aumentar a competitividade de Sergipe no mercado da indústria de bens e serviços no âmbito estadual e nacional
Foi realizado, na segunda-feira (9), o Fórum Sergipano de Petróleo e Gás (FSPG). O evento reuniu, no Teatro Tobias Barreto, empresários e autoridades, para debater as perspectivas do mercado do gás no Brasil e as potencialidades de Sergipe nesse cenário. O Fórum é uma instância deliberativa com o propósito de institucionalizar, estruturar, articular e apoiar as ações das diversas organizações que atuam no setor, visando potencializar os seus resultados econômicos e aumentar a competitividade de Sergipe no mercado da indústria de bens e serviços no âmbito estadual e nacional.

“Esperamos que o Fórum seja participativo e vibrante e que possamos ter ainda em 2020 frutos desse trabalho, com a consolidação do Plano de Desenvolvimento de Setor de Petroleo e Gás e do Plano Tributário para o setor de Gás, servindo de diretrizes para o desenvolvimento do setor e oferecendo segurança jurídica aos investidores”, destacou o governador Belivaldo Chagas ao ressaltar que o conjunto de ações apresentadas no Fórum resulta das diretrizes traçadas pelo Planejamento Estratégico do Governo.

O Fórum contou também com a apresentação do 1º Terminal Privado de GNL do Brasil, integrante do Complexo Termelétrico Porto de Sergipe, com capacidade de regaseificação de 21 milhões de m³ e capacidade nominal de armazenamento de 170 mil m³ de gás natural liquefeito. A expectativa de produção com o início de exploração é de 40 milhões de m³ por dia.

Na oportunidade, o presidente da Celse, Pedro Litsek, destacou as potencialidades do Terminal de Regaseificação da Celse, cuja operação se inicia ainda em março de 2020. “A termelétrica já está funcionando, em fase de teste. Dai, abrem-se as oportunidades de distribuição de gás a preço nacional”.

Representando o Ministério de Minhas e Energias, Reive Barros destacou a ousadia da Golar e da Celse nos investimentos energéticos, ao tempo em que ressaltou o ambiente favorável empreendido pelo governo do Estado. “Tem um diferencial, Sergipe ficará muito mais competitivo. Não tenho dúvidas que este momento ficará para a história”.

Sergipe terá na próxima década uma grande disponibilidade de gás para ser utilizado a partir da produção de petróleo e gás em águas profundas do litoral do estado, com volume estimado que corresponde a mais de quatro vezes a atual capacidade de consumo da região Nordeste do Brasil. Neste contexto, o Governo tem trabalhado para transformar o estado em um ambiente promissor para as empresas que já estão e para aquelas que têm interesse em se instalar aqui.

Planejamento

Foi lançado, na oportunidade, o Edital de Chamamento Público para empresas interessadas em implantar loteamentos e condomínios na área do Complexo Industrial Portuário, onde o foco será a venda e locação de lotes e galpões para empresas interessadas em desenvolver atividades industriais, logísticas, de serviços e de apoio às atividades de produção e exploração de petróleo e gás. O desenvolvimento do Complexo Industrial Portuário de Sergipe é uma das  metas definidas pelo Plano Estratégico do Governo.

Belivaldo também autorizou a implantação do sistema de abastecimento de água para atender a região portuária da Barra dos Coqueiros e povoado Jatobá. “São quatro municípios que integrarão esse complexo, Barra dos Coqueiros, Santo Amaro, Maruim e Laranjeiras”, pontuou o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, José Augusto Carvalho.

Mais investimentos

Na solenidade, a Alliance GNLog, a Golar Power e o Grupo Maratá assinaram Protocolo de Intenções para viabilizar um período de teste do primeiro caminhão a GNL na frota nacional do Grupo Maratá, tendo como objetivo a partir deste êxito, a empresa se compromete a mudar 25% da sua frota  para funcionamento GNL. Posteriormente, foi assinado Protocolo de Intenções entre a Golar Power e o Grupo Maratá para viabilizar o fornecimento de GNL para as Unidades do Grupo Maratá.

Também foi assinado Ofício solicitando ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a realização de estudo de modelagem e termos de um novo contrato de concessão para venda da Sergas, a ser apresentado pelo Estado aos sócios Gaspetro e Mitsui. O governo encaminhará o Projeto de Lei à Assembleia Legislativa para solicitação de venda.

Outra medida formalizada nesta manhã, foi o Termo de Cooperação entre o Sergipe Parque Tecnológico (SergipeTec) e a Centrais Elétricas de Sergipe (Celse). Assim como o termo de parceria acordado entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria Estado do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e da Tecnologia (Sedetec) e o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) para estruturação, qualificação e desenvolvimento das empresas da cadeia de óleo e gás em Sergipe.

Notícias relacionadas