menu

Bahia

21/12/2015


Governador faz balanço do ano e projeções para 2016

O governador Rui Costa aproveitou o lançamento da revista Terra Mãe, do Governo do Estado, e do Mapa da Mídia, uma ferramenta eletrônica para facilitar as ações no mercado que envolvem imprensa e publicidade, para fazer um balanço das principais ações do governo em 2015 e informar o que pretende ser alcançado em 2016. O evento foi realizado nesta segunda-feira (21), no Palácio do Rio Branco, em Salvador.

Durante o balanço, o primeiro assunto abordado por Rui foi o lançamento de um mapa eletrônico de serviços em 2016. "Será algo parecido ao Mapa da Mídia, só que para a oferta de empregos, e já foi solicitado à Prodeb [Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia]". Segundo ele, será uma ferramenta para oferecer profissionais para o mercado de trabalho.

"Pintor, encanador, doceira, cada profissional vai poder colocar seu preço e o usuário poderá dar nota ao serviço prestado. Isso aumentará muito a geração de renda para as pessoas", enfatizou, salientando que a ideia nasceu ao andar e pelas ruas ver as pessoas colando cartazes nos postes, tentando vender o um serviço. "Às vezes, alguém da classe média, um empresário, precisa de um serviço, o pessoal das comunidades mais pobres pode fazer esse serviço e os dois não se encontram. Assim, vamos criar essa oportunidade".

Educação

O governador disse que, no âmbito do programa Educar para Transformar, foram feitas eleições para a diretoria em mais de 600 escolas, com a participação dos alunos e dos pais. "Agora, em 2016, vamos eleger também 40 mil líderes de classe, porque queremos aproximar a Secretaria da Educação da rotina de sala de aula. Isso tem a ver com as viagens que fiz, com as visitas às mais de 140 escolas na capital e no interior. Queremos melhorar os índices de educação, não somente com investimentos em infraestrutura, mas também na qualificação profissional".

Rui explicou que as eleições para diretor envolvem votos de professores, alunos e pais. "Eu aumentei o peso do voto dos alunos e uma excelente surpresa foi que tivemos quórum dos pais e dos estudantes. Isso indica o envolvimento da família que eu tanto pedi durante o ano e isso ficou materializado com estes resultados. Educação não apresenta resultado em curto prazo, mas é preciso construir hoje para que amanhã apareçam indicadores muito melhores".

Saúde e previdência

O governador informou que, na área da saúde, o Estado está atingindo o objetivo de fazer redução nos custos, melhorando a gestão de cada hospital, e aumentar, ao mesmo tempo, a oferta de procedimentos. "Eu me reuni com grupos de diretores de cinco hospitais de cada vez, para que apresentassem seu plano de metas de redução de custos, de aumento do atendimento. Tivemos redução de custos que não implicaram na redução do serviço. Em muitos hospitais, reduzimos os custos e ainda aumentamos o número de procedimentos feitos".

Rui afirmou que a Bahia também avançou na interiorização da saúde. Já foram assinados convênios com os consórcios municipais de saúde de Irecê (centro norte), Jequié (centro sul) e Teixeira de Freitas (extremo sul), e os de Paulo Afonso (Vale do São Francisco) e Guanambi (sudoeste) já estão prontos para assinar.

"Quero iniciar, no começo do ano, a construção de dez policlínicas para atender aos moradores do interior. Hoje, as pessoas ou deixam de fazer o exame ou viajam até mil quilômetros para fazer. Ao regionalizar isso, vou fechar os quatro anos de governo criando uma capilaridade da saúde e melhorando o atendimento em todo o estado", informou.

Outro assunto destacado pelo governador foi a dificuldade de cumprir os compromissos com a previdência estadual. "Eu tenho hoje cerca de 43 mil professores aposentados para 33 mil da ativa. Nós pagamos o salário de 76 mil professores. Essa é a dificuldade de elevar o custo dos profissionais da ativa". Para ele, o correto seria que o Fundo Financeiro da Previdência Social dos Servidores Públicos do Estado da Bahia (Funprev) tivesse dinheiro acumulado, depositado ao longo de anos da vida profissional e aplicado.

"Os aposentados deveriam receber deste fundo, e não da receita do Estado. Essa é uma dificuldade de todos os Estados. A Bahia está botando R$ 2,5 bilhões para cobrir este buraco da previdência, o que corresponde a cerca de 9% da receita corrente líquida", disse.

Segurança

Na área de segurança, Rui afirmou que o Estado fecha o balanço com números próximos à meta estabelecida. "Demos passos largos, aprofundamos o programa Pacto pela Vida. Os resultados nas bases comunitárias são extraordinários. Temos alguns lugares que eram líderes em homicídios e que há um ano não apresentam este tipo de crime. Tivemos lançamento de editais para entrar com serviços nessas comunidades, já levamos ações de cidadania, de oftalmologia, câncer de mama. Agora vamos tentar resgatar usuários de drogas para a vida de cidadão e com saúde",.

Outros investimentos

"Na área de investimentos, avançamos bastante no diálogo com empresários e, se não fosse a instabilidade política, teríamos anunciado muitas empresas chegando à Bahia", afirmou Rui. "Tenho esperança de que, superada essa crise, no início do ano, já tenhamos empresários anunciando investimentos no estado. Vamos esperar a solução dessa crise política", disse o governador.

Segundo ele, nos investimentos públicos, foi mantido o ritmo das obras prioritárias. "Nossa determinação foi de que era melhor concluir o que estava iniciado, ao invés de abrir novas frentes e não conseguir concluir nada. E agora podemos comemorar muitas obras entregues. As de mobilidade, mais visíveis, estão a todo vapor".

Mobilidade e habitação

Rui também informou que já estão em construção as estações da Linha 2 do Metrô no Imbuí, no Centro Administrativo da Bahia (CAB) e no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA). "Ainda em 2016, servidores poderão ir até o CAB de metrô. Isso é uma revolução no transporte público de Salvador, que passará a ter a terceira maior e a melhor malha metroviária do País. Vamos licitar também no primeiro semestre o VLT [Veículos Leve sobre Trilhos], que sairá de Paripe, no Subúrbio Ferroviário, passando pela Calçada, até o Comércio".

Ele falou ainda sobre os corredores transversais. "A Pinto de Aguiar já está pronta, estamos avançando com a Orlando Gomes, 29 de Março e com a Gal Costa. Serão 33 quilômetros nas duas vias para BRT [Transporte Rápido por Ônibus], encontrando com as estações do VLT de Paripe e do Lobato. Teremos um sistema integrado, com a melhor mobilidade urbana das capitais brasileiras".

Rui também disse que a Bahia avançou nas obras de habitação, contenção de encostas, abastecimento de água e esgotamento sanitário e que os investimentos continuarão. "Na escassez de recursos públicos, vamos investir nas parcerias público-privada, garantindo a chegada da água a lugares críticos da Bahia. Itabuna, no sul, é hoje das cidades grandes do nosso estado com a pior situação de esgoto e de abastecimento de água. Estamos conversando com o município para que isso venha para o Estado e possamos colocar o município no mesmo patamar de outras grandes cidades baianas".

Notícias relacionadas