menu

Brasil

15/01/2016


Governo não vai interferir em questão interna de partido, diz Dilma sobre PMDB

A presidente Dilma Rousseff aproveitou o café da manhã que tomou com jornalistas nesta sexta-feira (15) para tentar apaziguar a relação com o vice-presidente, Michel Temer, dizendo que não deixou de se comunicar com ele e que o governo não pode interferir nas questões internas do PMDB.

"O governo e eu temos toda consideração pelo presidente Temer. Para nós é muito importante também uma relação de absoluto respeito, de proximidade, fraterna com o presidente Temer", disse Dilma.

Ao responder a pergunta sobre a relação dela com o PMDB e com seu vice, a presidente citou os telefonemas trocados entre eles durante os festejos de Natal e de Ano-Novo como sinal de que a relação não esfriou.

Ela disse ainda que já tem duas conversas marcadas com Temer, e que só não se encontrou com ele na semana passada porque teve de ir a Porto Alegre após o nascimento do seu segundo neto.

Sem mencionar diretamente as disputas pela liderança da bancada do PMDB na Câmara dos Deputados, sobre as quais o Palácio do Planalto é acusado de interferir e trabalhar para a recondução do governista Leonardo Picciani (RJ), Dilma disse que o governo "não pode querer" guerras intra-partidos.

"Nós acreditamos que é muito importante para o governo e para qualquer partido, que esse partido esteja harmônico, unido, e que essa seja uma situação que leve à estabilidade das relações. Nós não interferimos, sob nenhuma circunstância, nas questões internas. E aí não é só do PMDB não. Mesmo quando vocês perguntam sobre o PT, não cabe ao governo interferir em questões internas", defendeu-se.

IG 

Notícias relacionadas