menu

Paraíba

01/12/2017


Governo realiza obras de recuperação em mais de 450 escolas

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação, investe na recuperação de mais de 450 escolas nas cidades de João Pessoa, Campina Grande, Guarabira, Cuité, Mamanguape, Itabaiana e Monteiro. As ações fazem parte da gestão pactuada com as Organizações Sociais (OS), que atuam desde agosto deste ano.

Entre as melhorias realizadas nas escolas da Rede Estadual de Ensino estão consertos da rede elétrica e hidráulica, pintura interna e externa, e recomposição do mobiliário. As medidas melhoram o ambiente escolar, tornando ainda mais eficiente o processo de ensino-aprendizagem.

Para o secretário da Educação, Aléssio Trindade, a agilidade na resolução dos problemas enfrentados pelas escolas é uma das principais vantagens da atuação das Organizações Sociais. “Antes, problemas de infraestrutura, a exemplo de um simples vazamento, levavam muito tempo para serem solucionados. Hoje, a solução ocorre de forma rápida, e o gestor da escola se preocupa apenas com a parte pedagógica, melhorando ainda mais a qualidade de ensino”, afirmou.

As melhorias ocorrem também na parte de informática. Já foram vistoriadas mais de 150 escolas a fim de detectar a atual situação. Além disso, já foram feitas mais de 150 intervenções, com montagem de laboratórios de robótica e ciência.

Comunidade agradece – Uma das escolas beneficiadas pela gestão pactuada entre o Governo do Estado e as Organizações Sociais é a Escola de Ensino Fundamental e Médio Benedita Targino Maranhão, no bairro da Penha, em João Pessoa.

Com vários problemas na infraestrutura, a começar pela falta de identificação a diretora da escola, Roberta Araújo, conta que a resolução dos problemas é bem mais rápida. “Com a chegada da OS, o ambiente da escola mudou completamente, com a instalação de ar-condicionado, pintura, melhorias na instalação hidráulica, aumentando a autoestima de nossos alunos. Antes, a nossa escola nem identificação tinha”, completou.

As melhorias foram constatadas pela estudante Regina da Silva Araújo: “Acredito que foi muito importante a decisão do Governo do Estado, pois ganhamos ainda mais condições de estudar”.

Os gestores escolares entram em contato com as Organizações Sociais, que têm prazo para retornar de 72 horas. Já as soluções são adotadas em até 15 dias.

WSCOM

Notícias relacionadas