menu

Brasil

22/05/2014


Greve de professores deixa 145 mil alunos sem aulas na rede municipal

Bahia

Portões fechados foi o cenário encontrado nessa quarta-feira (21/5) nos colégios municipais de Salvador após paralisação dos professores de 48h. O objetivo do protesto é pressionar o executivo municipal com relação à finalização e aprovação do plano de carreira e remuneração da categoria.
A paralisação foi decidida na manhã de terça-feira (20), deixou mais de 145 mil alunos sem aula e causou surpresa na secretaria de educação municipal. “Estamos em negociação com os professores desde o ano passado. A maior parte das exigências já foi atendida. O plano de carreira já tinha sido discutido. Claramente existem objetivos políticos no meio dessa paralisação e os alunos que estão sendo prejudicados. Não vamos aceitar isso. Os dias de paralisação não serão abonados. Retiramos a proposta que havíamos feito e estamos tentando uma negociação.”
É o que diz o secretario de gestão, Alexandre Pauperio. Os professores buscam um consenso com a prefeitura em relação a reserva de jornada, percentual de gratificação para os gestores gratificação de estímulo ao aprimoramento, além da aprovação do plano de carreira e remuneração da categoria.
A Secretaria de Educação ainda não sabe como serão repostos os dias letivos perdidos durante a paralisação, mas a realização da Copa do Mundo não será mais um empecilho na vida dos estudantes.
O ano letivo de 2014 começou, antecipadamente, no dia 27 de janeiro. Dessa forma, os alunos vão ter 30 dias de recesso durante o período da Copa do Mundo, que vai de 12 de junho a 13 de julho, sem necessidade de reposição das aulas.
A previsão é de que o ano letivo termine no dia 23 dezembro.
Nesta quinta-feira (21), a categoria vai realizar uma caminhada da praça da Piedade em direção à Praça Municipal, para entregar o texto do plano de carreira na prefeitura e na câmara dos vereadores.
A categoria volta a se reunir em assembleia às 9h, no Ginásio dos Bancários.

Notícias relacionadas