menu

Alagoas

02/05/2016


Greve de vigilantes deixa caixa eletrônicos vazios

Os primeiros reflexos da greve dos vigilantes que trabalham com transporte de valores começaram a ser sentidos por clientes de agências bancárias em todo estado de Alagoas. Nesta segunda-feira, 02, cerca de 60 % dos terminais eletrônicos da capital e interior amanheceram sem dinheiro por conta da paralisação da categoria, que teve início na última quinta-feira, 28.

A escassez já tem causado transtornos à população, que não consegue tirar dinheiro de sua conta bancária. No início desta tarde, um grupo de vigilantes saíram em caminhada e carreata a fim de cobrar melhores condições de trabalho e reajuste salarial.

Com faixas e cartazes, os manifestantes saíram da Rua Cabo Reis, no Trapiche, e percorreram diversas ruas da cidade até chegar a Praça Marechal Deodoro da Fonseca, onde se juntaram ao movimento agrário para pleitear uma reunião no Tribunal de Justiça. A pauta a ser discutida com os desembargadores é a violência no campo e segurança para os vigilantes de transporte de valores.

“Somos vítimas constantes da violência que assola em Alagoas. Por conta disto, resolvemos nos juntar aos trabalhadores rurais para pedir segurança também para nossa categoria. Além disso, vamos lembrar os nossos problemas salariais”, disse o presidente do Sindicato dos Vigilantes de Alagoas (Sindvigilantes/AL), José Ferreira.

 A categoria reivindica ainda um aumento salarial de 15%, melhores condições de trabalho e reajuste no ticket alimentação e plano de saúde. José Ferreira informou que às 17h de hoje os vigilantes irão se reunir em assembleia para definir os próximos passos da mobilização. Durante o encontro, a categoria irá decidir se continuam em greve até que as empresas de segurança apresente uma proposta concreta.

“Até o momento, as quatro empresas que atuam em Alagoas não sinalizaram nenhuma proposta. Caso a greve continue, a situação pode piorar muito, pois não haverá abastecimento nos caixas eletrônicos e a falta de dinheiro será geral. Com isso, os clientes terão que buscar os caixas das agências bancárias ou as casas lotéricas”, finalizou o sindicalista.

O trânsito na parte baixa de Maceió segue lento devido ao protesto.

Alagoas 24h

Notícias relacionadas