menu

Pernambuco

16/07/2015


Greve dos rodoviários chega ao fim e reajuste fica em 12%

O dissídio coletivo dos rodoviários, julgado na noite desta quarta-feira (15) pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 6ª Região, terminou com a aprovação da proposta apresentada pelo relator do caso. Com isto, chega ao fim a greve da categoria, iniciada nessa terça-feira (14).

Com a aprovação da proposta, passará a valer o reajuste salarial de 12% e 57,59% para tíquete alimentação.

A informação foi passada pelo presidente do Sindicato dos Rodoviários, Benilson Custódio, logo após o fim da votação.
No fim do dissídio, o TRT julgou a greve como legal.

Com o reajuste, o salário de motorista sobe de R$ 1.765 para R$ 1.976,80, além do aumento do tíquete-alimentação de R$ 188 para R$ 296, 26. 

A greve dos rodoviários começou à 0h desta terça, por tempo indeterminado. Após três rodadas de negociações, os rodoviários pediam reajuste de 12% nos salários. No início, a proposta inicial da categoria era de 30%. O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) propôs aumento de 9,5%. Desta forma, o salário dos motoristas passaria de R$ 1.765 para R$ 1.933 e o do cobrador aumentaria de R$ 812 para R$ 889.

Mesmo insatisfeitos com o possível reajuste, a principal reivindicação dos rodoviários era em relação ao ticket alimentação. No início das negociações, a categoria pedia reajuste de 68%, o que aumentaria o valor de R$ 188 para R$ 320. O patronato ofereceu 27%, o que daria R$ 220 por mês. A categoria pedia também que o valor seja pago nas férias. Com a decisão de fazer a greve, a Urbana cancelou as propostas. 

Ne10

Notícias relacionadas