menu

Alagoas

08/06/2015


Hospital Universitário afirma que corpo de bebê que ‘sumiu’ foi incinerado

O Hospital Hospital Professor Alberto Antunes (HUPAA) emitiu nota na manhã desta segunda-feira, dia 8, por meio da sua assessoria, afirmando que o corpo do feto de 20 semanas e cinco dias, cujos familiares denunciaram o desaparecimento na última sexta-feira, 6, foi incinerado.

De acordo com o hospital, a incineração atende a protocolo do Ministério da Saúde para fetos abaixo de 500g. Pelos critérios do Ministério, apenas fetos com peso acima de 500g devem gerar atestado de óbito. No caso do bebê em questão, o peso de 520g seria resultante da pesagem errada do corpo junto com a placenta.

Na sexta-feira, após saber da morte do feto, familiares da mãe, um adolescente de 17 anos, exigiram o corpo para providenciar o sepultamento, o que não ocorreu, gerando confusão entre os familiares e a unidade de saúde.

O hospital afirma ainda que a morte intrauterina foi comprovada por meio de ultrassom e o feto foi eliminado com a utilização de medicamentos. Veja nota do HU na íntegra:

Nota de esclarecimento

A direção do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA) esclarece que o feto da paciente Ingryd Maria Tavares Clarindo, que teve morte intrauterina comprovada através de exame de ultrassonografia, foi eliminado (induzido por medicamentos) no dia 05/06 (sexta-feira) às 2h30 da madrugada, apresentando maceramento e em processo de deterioração. O feto, de uma gestação de 20 semanas e cinco dias, foi considerado aborto em função do peso e do tempo gestacional, segundos critérios do Ministério da Saúde, e foi destinado à incineração, seguindo o protocolo para todos os casos semelhantes (aborto). O hospital também esclarece que o atestado de óbito emitido para a família foi um equívoco resultante da pesagem errada feita com o corpo do bebê junto com a placenta, que deu 520 gramas, quando este deveria ser pesado separadamente. Pelos critérios do Ministério da Saúde, todo feto com peso acima de 500g deve gerar um atestado de óbito. A direção do hospital se solidariza com a dor da família e reafirma que está aberto à qualquer esclarecimento que eles necessitarem.

Alagoas 24 Horas

Notícias relacionadas