menu

Política

31/07/2015


Igreja de Cunha também recebeu dinheiro de delator

A quebra do sigilo bancário da empresa Treviso, utilizada pelo lobista e delator da Operação Lava Jato Julio Camargo para repassar propinas com recursos desviados de contratos e obras da Petrobras, apontou que R$ 125 mil foram repassados para a igreja evangélica Assembleia de Deus Ministério Madureira, em Campinas (SP). A informação foi publicada no blog de Fausto Macedo, do Estadão.

Segundo a Polícia Federal, o dinheiro teria sido repassado entre os anos de 2008 e 2014. A movimentação no período é a única feita por Camargo que teve como destino alguma instituição religiosa.

O detalhe que chama a atenção é que a igreja é próxima do deputado federal e presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Cunha também foi apontado por Camargo como sendo beneficiário de uma propina de US$ 5 milhões.

Em fevereiro deste ano, Cunha participou de um culto de mais de duas horas em homenagem à sua eleição para a Presidência da Câmara. Na época, ele trocou a sua congregação, Sara Nossa Terra, pela igreja Assembleia de Deus Madureira.

Notícias relacionadas