menu

Brasil

13/04/2014


Incêndio destrói cerca de 500 casas e deixa ao menos 16 mortos

NO CHILE

Um incêndio florestal sem controle – ajudado pelos fortes ventos do Pacífico – destruíu aproximadamente 500 casa e deixou ao menos 16 pessoas mortas na cidade portuária chilena de Valparaíso, a 120 quilômetros de Santiago, entre este sábado (12) e domingo (13). Os bombeiros ainda tentam combater o fogo e o local permanece em alerta vermelho

O fogo começou no sábado à noite em uma zona de floresta nos arredores do porto, mas o vento propagou as chamas a seis morros que rodeiam a cidade e onde há moradias. Ao amanhecer de domingo, foi possível ver a destruição deixada pelo incêndio, o pior a atingir a cidade declarada patrimônio da humanidade pela Unesco.

Cerca de 1.200 bombeiros e centenas de brigadistas de resgate trabalhavam sem trégua para apagar os últimos focos do grande incêndio, que com suas chamas de 20 metros de altura devastou aproximadamente 800 hectares.

Várias áreas afetadas pelo fogo ainda estavam sem energia, nem abastecimento de água. Cerca de 5.000 pessoas foram evacuadas. A maioria das casas de Valparaíso, onde vivem cerca de 250 mil pessoas, é construída com material leve, facilmente inflamável, o que unido ao vento faz com que os incêndios sejam frequentes..

"O sinistro não está extinguido completamente. Há focos que seguem ativos. Isto é o mais catastrófico que já vivi em Valparaíso. É difícil saber se o incêndio está controlado", disse o chefe de governo regional em Valparaíso, Ricardo Bravo.

Colunas de fumaça se levantavam sobre os morros da cidade, onde centenas de casas viraram cinzas e muitas pessoas choravam enquanto retiravam os escombros de suas casas na esperança de recuperar alguns pertences.

"Tomara, esperamos não encontrar mais vítimas fatais. Há muitos animais que também foram afetados pelo fogo. Estamos procurando entre os escombros", disse o coronel da polícia Fernando Bywaters.

A parte antiga da cidade, zona declarada patrimônio da humanidade, o porto e a sede do Congresso Nacional estavam fora de perigo.

Na manhã deste domingo, 14 helicópteros e seis aviões participavam da operação para auxiliar no combate ao fogo. A presidente Michelle Bachelet declarou a cidade uma zona de catástrofe, o que encarrega as Forças Armadas de manter a ordem e de evacuar de milhares de pessoas afetadas pela fumaça e chamas

"Este é o pior desastre que eu já vi", disse o governador da região, Ricardo Bravo. "Nosso medo é que o fogo se espalhe até o centro da cidade, o que elevaria a gravidade da emergência."

* Com informações da AP e Reuters

Notícias relacionadas