menu

Brasil

21/05/2014


Instituto Lula nega que o ex-presidente tenha declarado apoio à Eunício (PMDB)

CEARÁ

A menos de três semanas para o início do período de convenções partidárias – das quais devem sair os candidatos nas eleições de 2014 -, o cenário da sucessão no Ceará foi marcado ontem por farpas, reações e desmentidos.

Presidente nacional do PMDB, o senador Valdir Raupp (RO) afirmou ao O POVO que o ex-presidente Lula “deseja” apoiar o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) ao governo. “Mas ele disse que vai continuar conversando com o governador Cid Gomes para manter a unidade”, completou Raupp sobre as três maiores siglas da base no Ceará: Pros, PT e PMDB.

Raupp, Eunício e outros do PMDB se reuniram com Lula na noite de terça, em São Paulo. Depois da conversa, Raupp afirmou ao Diário do Nordeste que Lula anunciou apoio a Eunício, que tenta ser o candidato governista à sucessão de Cid (Pros), que prefere indicar um nome do seu próprio partido e deixar a escolha para junho.

Esse anúncio foi negado por Lula, por meio do assessor de imprensa do Instituto Lula, José Chrispiniano, que disse ontem ao O POVO: “O ex-presidente não confirma essas declarações” e “não confirma definição do apoio do PT a Eunício, até porque é uma decisão partidária e não há nada definitivo no Ceará”.

O POVO procurou Eunício. Conforme sua assessoria, ele não comentaria palavras ditas por outra pessoa (Raupp).


“Piada” de Cid

Enquanto isso, partidários de Luizianne Lins (PT) revidaram a Cid por afirmar que o PT tem pretexto para processá-la por infidelidade partidária, depois de a ex-prefeita negar de antemão apoio a qualquer candidato de Cid ao governo, mesmo que petista.

“Cid Gomes, que já mudou de partido seis vezes, não tem moral para falar em fidelidade partidária”, disse em nota o presidente do PT de Fortaleza, Elmano de Freitas. “Ele silenciou quando o irmão Ciro Gomes (ambos, à época, no PSB) manifestou publicamente seu apoio à candidata Patricia Saboia (PDT) para a Prefeitura de Fortaleza (em 2008), mesmo com o PSB apoiando a reeleição de Luizianne”.

Também em nota, o deputado federal Eudes Xavier chamou de “piada” o comentário de Cid. “Os Ferreira Gomes já foram da Arena, do PDS, do PMDB, do PSDB, do PPS, do PSB e agora estão no PROS, com o irmão do Governador, Ciro Gomes, chamando a Direção Nacional de seu partido de chantagista e corrupta”.

Pelo lado de Eunício, o vereador Vitor Valim (PMDB) criticou Cid porque o governador declarou que cabe aos cearenses julgar se o senador mostra coerência quando critica a gestão na qual o PMDB esteve de 2007 até este mês. “Coerência para o governador Cid Gomes é concordar com o seu projeto”, reclamou Valim. 

(O Povo Online)

Notícias relacionadas